Sexta-Feira, 19 de Janeiro de 2018 |

Reformas de oito Unidades Básicas de Saúde do município devem ter início até o próximo mês

Recursos haviam sido anunciados entre 2013 e 2014, mas as obras ainda não tinham iniciado

Por Redação em 05 de Janeiro de 2018

"A UBS Formosa deve receber os serviços de ampliação no decorrer deste ano, ao lado da UBS Stella Maris. " (Foto: Guilherme Wunder)


Durante a gestão passada foram anunciadas as reformas e ampliações das Unidades Básicas de Saúde (UBS) da cidade. Ao todo seriam nove reformas e três ampliações, beneficiando os postos de saúde do município e a população que por eles eram atendidas. Entretanto, cerca de quatro anos se passaram para que as obras realmente saíssem do papel.

Isso porque, somente em 2016 que começou a reforma da primeira UBS beneficiada, localizada no Bairro Tijuca. O prédio foi todo remodelado e entregue para a comunidade no segundo semestre de 2017. Agora a ideia é realizar a reforma das outras oito unidades básicas de saúde e ampliar duas das três contempladas com o recurso.

Em entrevista com o diretor-geral da Secretaria da Saúde (SMS), Guilherme Guterrez, que é o responsável pelos processos licitatórios da pasta, foi explicado que era necessário refazer todos os projetos das reformas e ampliações, além de ter sido atualizada toda a planta de valores. Com isso, o valor investido pelo Município aumentou, pois foi necessário arcar com a diferença dos preços, que aumentaram desde 2013.

Além disso, também devem sair do papel duas academias de saúde. Todos esses processos licitatórios já ocorreram e a análise da documentação também, faltando apenas a homologação do contrato. “Com isso essas obras podem ser iniciadas. A nossa previsão é que entre janeiro e fevereiro essas obras comecem. Isso das oito reformas pendentes”, salienta Guterrez.

Já sobre as ampliações, o responsável pelas licitações, salientou que já ocorreu o pregão da UBS Stella Maris e está sendo encaminhada a UBS Formoza. A expectativa é de que a licitação desta última saia ainda em janeiro. Já a UBS Aparecida será reconstruída ao lado do atual prédio. “A atual gestão tomou a iniciativa de não realizar a reforma e sim construir uma nova sede ao lado da atual. Isso está pronto e deve sair no mês de janeiro”, justifica o diretor-geral.

Guterrez explica que todas essas construções só serão possíveis com o aproveitamento do recurso da União e com a contrapartida do município, que ainda arcou com o diferencial do orçamento de material feito em 2013. “Além disso, a UBS Aparecida terá suas obras arcadas somente com o recurso do Município”, ressalta o responsável pelo processo licitatório.

Obras paradas

A gestão passada também havia iniciado a construção de três novas UBSs na cidade: Nova Alvorada, Porto Verde e São Francisco. Segundo o diretor-geral, existem novidades sobre todas elas e são todas positivas. “A UBS Porto Verde é nova e está concluída. A previsão é de que possamos inaugurar ela em fevereiro. A UBS Nova Alvorada também está concluída e faltam apenas questões com a União sobre os equipamentos e funcionários. Já a UBS São Francisco foi liberada pelo Judiciário e agora podemos reassumir a obra. Nós já elaboramos um novo estudo para poder dar prosseguimento”, salienta Guterrez

Canil municipal

As obras de reforma do canil municipal também apresentaram novidades desde julho, quando o tema foi pauta no Jornal A Semana. Na época, foi dito que ainda em 2016, foi realizado o estudo de projeto para a reforma e ampliação do espaço, porém as tabelas orçamentárias e os valores estão sendo ajustados e as plantas estão sendo concluídas. Depois disso seria trabalhado o processo licitatório.

E foi confirmado por Guterrez que todo esse processo de atualização foi concluído e o edital já está sendo encaminhado. “Em janeiro, junto com a ampliação da UBS Formoza e com a construção da UBS Aparecida, será licitado também a reforma do canil municipal”, salienta o diretor-geral.

Além disso, ocorreu também uma mudança com o projeto inicial. Isso porque, em julho, foi anunciado que a obra dividida em duas etapas. Na primeira seriam realizadas as reformas do centro cirúrgico, a construção de baias para os cães e o conserto do esgoto. Depois disso é que seria reformada a parte administrativa do canil.

Contudo, no atual projeto, tudo deve ser feito de uma só vez, para que a obra aconteça de forma mais ágil e seja concluída em, aproximadamente, seis meses de construção. “Inclusive nós alteramos o projeto e agora vamos fazer tudo de uma vez só e não em duas etapas, conforme o projeto original previa. Ao todo devem ser investidos cerca de R$ 500 mil”, finaliza Guterrez.

COMENTÁRIOS ( )