Sábado, 18 de Novembro de 2017 |

Somente uma UBS opera com prontuário eletrônico no municipio

Até o fim do ano, outras quatro unidades devem atender com o novo sistema

Por Redação em 16 de Dezembro de 2016

"Dados e histórico de cada paciente poderão ser acessados por meio de sistema interligado" (Foto: Ellen Renner)


No último sábado, 10/12, terminou o prazo estipulado pelo Ministério da Saúde/MS para que todas as Unidades Básicas de Saúde/UBSs do país adotassem o prontuário eletrônico durante os atendimentos. No entanto, de acordo com o Governo Federal, cerca de 65% dos municípios brasileiros ainda não tinham implantado o novo sistema até semana passada, ou seja, os postos de saúde continuam registrando os históricos dos pacientes só no papel. Em Alvorada a unidade Maringá já opera plenamente.

O objetivo do projeto é de ter um sistema nacional digitalizado com todas as informações dos brasileiros que utilizam os serviços de atenção básica do Sistema Único de Saúde/SUS. Com o novo prontuário, em plataforma 100% digital, todos os serviços de saúde da cidade (PAM-8, UPA 24h, UBSs e hospital), poderão acompanhar o histórico de atendimento, dados, diagnósticos, procedimentos, internações, prescrições de remédios e resultados de exames dos pacientes. Também será possível verificar em tempo real a disponibilidade de medicamentos ou registrar visitas de agentes de saúde. Outra vantagem é que, com a transmissão dos dados digital, da rede municipal à base nacional, o MS poderá verificar on-line como está sendo investida cada verba do SUS.

Contudo, apenas 55% das UBSs do Rio Grande do Sul estão operando com o sistema informatizado, sendo o Estado com mais postos que aderiram ao programa. De acordo com o MS, 1.517 computadores foram distribuídos as cidade gaúchas para implementação. Um dos exemplos de sucesso é Porto Alegre, em que todas as 125 unidades de saúde já operam com o sistema E-Sus. Para isso, foram investidos R$ 10 milhões, vindos da União e do Estado.

Informatização da cidade
Diferente da capital, das 14 UBSs da cidade, Alvorada presta esse atendimento apenas na UBS Maringá, localizada na rua Ceará, no Centro da cidade. Em pleno funcionamento há cerca de dois meses, a unidade opera com um sistema próprio, o e-Cidade.

De acordo com a Coordenadoria de Comunicação Social/CCS da Prefeitura, outras quatro unidades devem estar com sistema informatizado concluído até o fim de dezembro – Formosa, Piratini, Cedro e Stela Maris. Até o momento foram investidos cerca de R$ 360 mil em desenvolvimento, formação e implantação do sistema. Para atender os demais postos de saúde, assim como a maioria dos municípios brasileiros, Alvorada justificou ao MS a necessidade de mais tempo para o prazo de implementação.

Conforme balanço divulgado pelo Ministério da Saúde na tarde de quarta-feira, 14/12, as principais causas das UBSs não estarem operando de forma digital são em relação a insuficiência de equipamentos, como computadores e impressoras (84,9%), e pela falta de conectividade(73,9%).
Segundo o ministro da Saúde, Ricardo Ramos, os municípios receberão apoio e toda infraestrutura necessária para atender a solicitação. A expectativa é de que, no máximo, até maio de 2017, a grande maioria das unidades esteja informatizada.

Agilidade
Para enfermeira Luciana da Silveira, a informatização do prontuário eletrônico representa uma agilidade no processo de atendimento dos pacientes e otimiza o tempo de trabalho, sendo que não há mais o risco de perder informações referente as consultas. Além disso, os agendamentos passaram a ocorrer conforme horários disponíveis.

Apesar de ser a primeira unidade a receber o prontuário eletrônico, Luciana afirma que a mudança ocorreu de forma tranquila, mesmo com algumas dificuldades, pois toda equipe recebeu capacitação e acompanhamento. “Para gente foi um desafio, porque acabamos nos acomodando no modelo mais primitivo, ficando mais acomodado, mas a equipe toda quis e aceitou. Nós sentimos a valorização do nosso trabalho”, avalia. No entanto, Luciana confessa que alguns funcionários estão sendo resistentes com o novo sistema. Já em relação aos pacientes, a enfermeira diz que eles também têm se sentindo mais valorizados.

As fichas de papel ainda não serão descartadas, pois as informações contidas nela não serão passadas para o computador, mas aos poucos sairão do uso, já que novas informações serão inseridas no programa digital.

De acordo com o técnico, Ismael Macedo Nunes, da Libre Soluções de Governo, empresa responsável pela implementação do programa no município, os funcionários das UBSs Cedro e Formosa estão recebendo capacitação; o PAM-8 já conta com o agendamento de consultas informatizado; a Farmácia Municipal e a Farmácia da UBS Cedro também já estão informatizadas.

COMENTÁRIOS ( )