Quarta-Feira, 22 de Novembro de 2017 |

UBS Tijuca é reinaugurada após cerca de dez meses fechada

Com investimento de pouco mais de cem mil reais, espaço foi reformulado para o atendimento

Por Redação em 27 de Outubro de 2017

"Unidade está localizada na Rua do Parque, 301, no bairro Tijuca" (Foto: Guilherme Wunder)


Foi reinaugurada na última sexta-feira, 20/10, a Unidade Básica de Saúde (UBS) Tijuca. O posto, que fica localizado na Rua do Parque, Nº 301, estava fechado para reforma desde janeiro. O novo espaço conta com recepção, consultórios e salas de atendimento odontológico – além de rampa de acessibilidade e espaço para o acolhimento da comunidade.

O investimento para a reforma do local foi de R$ 109.025,31. Segundo a placa que ficava em frente ao local, o prazo era 15 de dezembro de 2016. Algo que não foi respeitado devido a não prorrogação do contrato pela gestão passada, conforme a Secretaria de Saúde. Devido a esse atraso, as cerca de quatro mil pessoas que frequentavam a UBS foram atendidas na Unidade de Referência em Saúde (URS), no Bairro Umbu.

A reportagem do Jornal A Semana visitou a UBS Tijuca nesta semana e pode conferir as melhorias no espaço. Essa evolução é vista tanto por quem trabalha no local como também por quem frequenta a Unidade Básica de Saúde. Isso é o que nos explicou a agente comunitária de Saúde, Marinice da Silva Leite, que trabalha há quinze anos no mesmo posto.

Ela conta que, no passado, não havia salas para o acolhimento, devido ao excesso de demanda e a má estruturação do local. “Com a reforma, foi possível melhorar o acolhimento das pessoas e reorganizar as salas. Isso auxiliou muito o trabalho, pois agora temos essa estrutura aqui dentro e não precisamos utilizar outros espaços para a realização do atendimento”, relata Marinice.

Além disso, para a agente comunitária, a instalação do toldo e a construção do espaço, que dá acessibilidade para o cadeirante, é algo notório. Conforme ela, essa mobilização com a comunidade fez com que a reforma acontecesse e o atendimento voltasse de uma forma muito melhor. “Hoje nós temos dois médicos fixos para atendimento, duas equipes de Estratégia da Saúde da Família (ESF) e isso beneficia muito a comunidade”, conclui Marinice.

Quem também falou sobre foi o morador do Bairro Tijuca, Roberto Pereira, que vive há 22 anos na região. Para ele, essa reforma melhora muito os serviços realizados e traz dignidade para a população. “Agora nós temos um pouco mais de espaço e o atendimento evoluiu bastante, porque antes era muito apertado e sofrido pra gente. Ainda faltam melhorias, mas vemos que está evoluindo”, conta Pereira.

A demora na entrega

Orçada em R$ 109.025,31, a reforma foi realizada com recursos do Governo Federal. A placa na frente da unidade informa que o período de obras seria de 15 de setembro a 15 de dezembro de 2016. De acordo com a Secretaria de Saúde, o motivo do atraso foi a não prorrogação do contrato com a empresa responsável no fim do ano passado.

Quando procurada, a atual gestão alegou que a antiga fiscal de obras da UBS saiu de licença e não assinou a nota de pagamento da segunda etapa da reforma. Ao assumir a secretaria, em janeiro deste ano, se refez toda a documentação com a adição de tempo no contrato e a contratação de um novo fiscal de obras.

Posterior a isso, as obras ficaram paradas por cinco meses, tendo sido retomada na segunda quinzena de junho e com prazo de um mês para a entrega. Entretanto, a entrega e reinauguração aconteceram quase quatro meses depois, em outubro.

A secretaria ainda informa que a reforma no espaço é apenas estrutural. Quando voltar a funcionar, continuará a atender com duas equipes do Programa Saúde da Família e uma equipe de odontologia.

Outras UBSs

No início do mês, a secretária de Saúde, Neusa Abruzzi, foi para Brasília solicitar o aumento do prazo para a reforma e ampliação das Unidades Básicas de Saúde (UBSs). Em entrevista ao Jornal A Semana na época, ela disse que o recurso está parado no município desde 2013 e, quando a SMS fez a atualização, teve seu parecer negado e, por isso, foi realizada uma reunião técnica para solicitar esse novo prazo.

“Nós apresentamos para eles que já estamos com as planilhas orçamentárias atualizadas e que já estamos em processo de licitação. Inclusive entregamos os números dos processos para eles. Nós justificamos que não queremos perder este recurso porque quem sairá prejudicado é a população. Por isso pedimos para que houvesse essa liberação e nós já solicitamos esse pedido. Só estamos aguardando a resposta”, relata Neusa.

COMENTÁRIOS ( )