Segunda-Feira, 28 de Setembro de 2020 |

Aconteceu

Os talentos escondidos precisam aparecer

Por Redação em 26 de Agosto de 2015


Falta muita coisa em Alvorada. Semanalmente publicamos uma matéria sobre cultura, onde destacamos algum músico, instrumentista, cantor ou cantora, artista plástico, produtor de eventos ou alguma banda. Gente que faz cultura dentro da cidade.
Na edição da última sexta-feira, 21/08, foi veiculada uma matéria com Ricardo Bolonha, produtor de eventos do município. Ele foi um dos fundadores do Rock No Parque, evento que reúne várias bandas. Este ano vai acontecer a 4ª edição e ele conseguiu trazer uma atração da Austrália. Realmente incrível.
Porém, Bolonha, como nós, sente falta de um espaço fechado para eventos. Um teatro de repente? Uma casa de shows? Um cinema? Muita coisa faz falta.
Em outra matéria falamos com um músico de Alvorada, André Silva, que começou cantando em uma igreja e foi para as rodas de samba. Porém, André não tem público alvoradense, mas muita gente o conhece em Porto Alegre. Qual o motivo? Segundo o próprio André, falta interesse do poder público em promover mais o artista local, além de um lugar fechado para shows. É mais “fácil” prestigiar os artistas de fora do que os de casa.
Ao conversar com os alunos do Clube das Cinco, que ganharam o prêmio de melhor filme no II Festival Primeiro Filme, todos afirmam que buscam cultura fora de Alvorada. Mas vários deles comentaram a existência de diversos talentos escondidos no município, falta oportunidade de aparecerem.
Eles próprios são talentos da cidade. Escreveram, produziram, dirigiram, editaram e protagonizaram um curta metragem campeão. Tem aluno que ganhou prêmio de melhor ator e uma aluna de melhor diretora. Sendo que Alvorada sequer tem um cinema para exibir aos alvoradenses este e outros curtas produzidos pelos alunos.
Jovens de 11 a 16 anos, que estão produzindo material digno de grandes talentos. Muitos destes alunos pretendem seguir carreira no mundo da sétima arte. Podem ser atores, editores ou diretores. Talento eles tem de sobra, assim como muitos na cidade, mas será que terão incentivos e oportunidades dentro da cidade?
Por falar nisso, Alvorada é cheia de talentos, o que falta é um olhar do poder público com relação a estas pessoas. Por que deixar um músico escapar? Permitindo que ele tenha um público fora da cidade, sendo que ele nasceu e se criou aqui? Por que não construir uma casa de espetáculos? Não é necessário gastar milhões, ninguém quer luxo. A população e os talentos sentem falta apenas de um lugar para poderem desfrutar da nossa cultura e expor tudo o que está escondido na cidade para nós e para o mundo.

COMENTÁRIOS ()