Sbado, 19 de Setembro de 2020 |

Aconteceu

Toda catástrofe tem um motivo bom

Por Redação em 16 de Dezembro de 2016


Esta frase escutamos durante esta semana de uma moradora que está auxiliando seus vizinhos a conseguir erguer a residência que no inicio da semana foi consumida em minutos pelo fogo.
A moradora juntamente com vários outros vizinhos começou a receber doações de várias outras pessoas que sensibilizadas pela perda de todos os materiais da família resolveram auxiliar de alguma forma. Em pouco tempo já estão contabilizados colchões, janelas, roupas e outros mantimentos. No entanto, é necessário que haja a doação de materiais para erguimento da casa, como cimento, areia e tijolos.

Assim, vemos que em pouco tempo a família estará em seu novo lar mais aconchegante e realmente a frase escrita acima vai fazer sentido, pois o que era um pesadelo no inicio desta semana em poucos dias se tornará algo diferente do que era.

Outro caso que podemos citar que tem o mesmo sentido é o da diminuição da AIDS no qual em 2012, Alvorada apresentava uma taxa de detecção de 98,8 cidadãos infectados a cada 100 mil habitantes, o que nos colocava nas primeiras posições do ranking Estadual e do país.

A partir dali diversas ações foram tomadas para diminuir esses índices e com o passar do tempo, após quatro anos, estamos ocupando a oitava posição no ranking estadual, tendo uma taxa de detecção de 63,8 pessoas a cada 100 mil habitantes. No Estado o numero apresentado é que 34,7 gaúchos estão com o vírus ou doença a cada 100 mil habitantes. São números alarmantes.
Uma das armas que contribui até hoje para que essa taxa de detecção esteja baixa em relação a outros municípios, é a implantação do teste rápido em todas as Unidades Básicas de Saúde/UBSs do município. Desta forma, Alvorada ficou conhecida no Estado por ser a primeira cidade gaúcha a disponibilizar o teste.

Já no Parque Rodoviário, há anos diversas máquinas estão paradas apodrecendo a céu aberto ou por falta de manutenção ou pelos governos preferirem terceirizar o serviço para outras empresas do que abrir concurso para novos servidores. O que temos que chamar a atenção é que esses equipamentos foram adquiridos com verbas pagas pelo povo por meio do IPTU e outros impostos.
Esperamos que daqui por diante o próximo governante que ocupará a cadeira no Executivo tenha o compromisso de recolocar em ordem esse maquinário para que assim, trabalhos desenvolvidos pela Secretaria de Obras sejam retomados.

Desta forma, teremos enfim, uma cidade sem ou com menos buracos e a frase escrita acima fazendo sentido novamente, para mais uma vez sairmos da catástrofe para um motivo bom.

COMENTÁRIOS ()