Quinta-Feira, 19 de Outubro de 2017 |

Carta do leitor

O mal que assolou Alvorada nas últimas semanas

Por Redação em 28 de Julho de 2015


Acredito que a enchente é um desastre natural que afeta a vida de milhões de pessoas a cada ano, e seu impacto é mais grave para alguns grupos populacionais. As constantes mudanças climáticas aliadas com o aquecimento global, bem como questões relacionadas ao uso e ocupação do solo, desmatamento, assoreamento dos rios, descarte inadequado do lixo, e a rápida urbanização sem planejamento, influenciam as enchentes.
Em Alvorada, há locais em que a enchente é uma constante a cada ano, e os Bairros mais atingidos são Americana e Nova Americana. E neste ano, mais precisamente no dia 20/07/15, uma situação atípica ocorreu, perdemos para o Rio Gravataí. Perdemos nossa casa de bombas, sendo a EBA 1 que foi totalmente inundada. A força da água destruiu o dique de contenção que estava sendo feito desde a semana anterior, e assim o serviço de tratamento e distribuição de água ficou seriamente comprometido. Diante da inundação a energia elétrica teve de ser desligada por motivo de segurança. Neste momento estávamos desolados.
Dias de intensos trabalhos, a situação era desafiadora. Tornamo-nos guerreiros, além da água do rio, batia em nosso peito sob o uniforme, o coração de verdadeiros soldados a fim de normalizar o abastecimento.
Através de audiência publica, a pressão se tornou uma aliada, e tínhamos coragem e valentia suficiente para atravessar o rio, levando material, ferramentas, e tudo que era necessário para que o retorno do abastecimento fosse normalizado.
E assim fizemos. Em nenhum momento o quadro funcional da Corsan de Alvorada estava de braços cruzados. Fomos incansáveis. Fizemos possível e impossível trabalhando, dobrando nossa jornada de trabalho, nunca paramos, mas fomos tachados de incompetentes e amadores, isso abalou cada um de nós servidores públicos, mas não perdemos a força e agarra para continuar.
O abastecimento começou a ocorrer a partir da sexta feira, dia 24, na parte da noite, foram 5 dias sem água em alguns locais. Entretanto a zona alta, sendo Intersul e Jardim Porto Alegre padeceu, pois a normalização ocorreu somente no domingo, portanto 7 dias sem água.
Tal situação da zona alta ocorreu devido a vazamentos de rede e algumas ligações irregulares que foram feitas por moradores no período sem abastecimento e que ficaram vazando, além da falta de consciência de muitas pessoas que desperdiçavam água lavando carro e calçadas, causando assim a falta de pressão suficiente para abastecer algumas ruas. Corremos atrás, efetuamos consertos e retiramos ligações irregulares que estavam vazando, enfim o abastecimento foi normalizado.
Não quero e não pretendo achar culpados ou inocentes, mas precisamos investir em prevenção de catástrofes climáticas, e esta obrigação é do poder público e defesa civil, não da Corsan. A Corsan continua trabalhando a fim de estar preparada para reduzir os riscos atuais e futuros.
Adrieli Mogdans – Funcionária da Corsan

COMENTÁRIOS ()