Quarta-Feira, 21 de Outubro de 2020 |

Editorial

A longa espera que mata!

Por Redação em 23 de Março de 2018


Passados mais de uma década desde a implantação de um novo sistema para regularizar o trânsito da cidade, voltou-se a estaca inicial, ou seja, como éramos atendidos no passado. Ou melhor, se expressando igual ao passado, estamos marcando passo no assunto de sinalização viária, e retroagindo. As novas tecnologias estão aí e falta gestão para buscá-las e adequá-las as necessidades atuais.

E o resultado é trágico neste assunto, pois está ceifando a vida de diversos cidadãos alvoradenses. E inúmeros concertos são efetuados após acidentes de trânsito, mortes e mobilização da comunidade. E o relato mais atual não fugiu a regra. Resta saber qual o próximo local que a tragédia se fará presente, pois locais apropriados não faltam. E frente às escolas, órgãos públicos, a inexistência de sinalização é o retrato da ineficiência na Secretaria de Segurança e Mobilidade Urbana. Ressalta-se que abnegados servidores fazem parte da Secretaria, porém estão engessados e tomando bravas iniciativas em prol da sua comunidade para minimizar o impacto junto a sociedade.

Grandes valores foram dispendidos no setor viário nos últimos anos, porém o resultado concreto está muito aquém do mínimo almejado. Quiçá momentaneamente faixas de segurança são pintadas, operações tapa-buracos somente com grandes esforços e obras de grande porte pouco presentes. Ou minimamente. O retrabalho é a tônica saltando aos olhos da comunidade que espera um pouco mais de dignidade e de retorno dos altos impostos que paga.

A busca de soluções é no enxugar da máquina pública, a busca incessante de recursos em nível de Estado e União. Projetos devem estar prontos e ao alcance de serem aprovados. Olhar somente para a situação da cidade é falta de visão e os municípios vizinhos, que sofrem com os nossos mesmos dilemas já ultrapassaram em muito as nossas dificuldades.

Atualmente, a SMSMU busca alternativas, como o desbloqueio de R$ 520 mil em multas que estão bloqueados pelo Judiciário. Com esse recurso, seria possível adquirir o sistema semafórico tão necessário na cidade e, de uma vez por todas, investir em mobilidade urbana que tanta a cidade necessita.

A comunidade alvoradenses ordeira e ciente de suas responsabilidades espera que o poder público faça o dever de casa. Ou seja, que transforme os votos conquistados no último pleito em ações concretas para o bem viver da sua população.

COMENTÁRIOS ()