Domingo, 27 de Novembro de 2022 |

Editorial

A retomada das tradições

Por Redação em 26 de Agosto de 2022


O mês de setembro se aproxima e, com ele, algumas tradições voltam à tona: Fogo da Pátria, Chama Crioula e Desfile Cívico. Além disso, no momento político e esportivo que vivemos – candidaturas mais “patriotas” e a Copa do Mundo – isso tende a se tornar mais forte. Isso porque valorizar as nossas tradições e culturas é de suma importância.

No Rio Grande do Sul existe a fama de que o nosso pais é o RS. A maioria da população demonstra o seu orgulho em ser gaúcho no mês de setembro. Isso se vê no CTG, nos acampamentos farroupilhas espalhados pelo estado, nos desfiles das campeiras e na busca pela Chama Crioula. Felizmente o gaúcho tem amor pela sua tradição e existem poucos problemas quando se pensa nisso.

Em Alvorada isso não é diferente. O acampamento vai acontecer – neste ano ele será na Sociedade União – e uma comitiva já está a caminho para a busca da chama em Canguçu. Serão mais de dez dias de movimentação em prol da cultura gaúcha. Isso movimentará piquetes e toda a sede campestre do União, em eventos nos CTGs e demais apresentações. Com certeza se tem a expectativa de que será um grande evento.

Contudo, o que nos faz pensar um pouco é quando se fala nas tradições patriotas – nível nacional. Infelizmente, debater patriotismo se tornou questão política – o que não deveria ter acontecido. Todos somos brasileiros e, independente de ideologias e siglas partidárias, deveríamos respeitar e valorizar os nossos símbolos (Bandeira, Hino, Armas e o Selo).

Aqui no município isso já foi diferente. No passado, escolas cantavam o hino nacional em frente à Prefeitura, o fogo da pátria ficava a disposição no paço municipal e até a pira era acessa. Hoje essa cultura do hino não se tem mais – não na mesma intensidade – o fogo da pátria está na Guarda Civil e a pira nem existe mais. Fatos tristes e que fazem com que a cultura nacional diminua entre nós.

Um pensador uma vez disse uma frase celebre: “Um povo que não conhece sua História está fadado a repeti-la.” É preciso conhecer seu passado e valorizar as suas tradições. No nosso caso, como alvoradenses, deveria ocorrer no nível nacional, estadual e municipal; afinal o mês de setembro também marca o aniversário de Alvorada. Precisamos cuidar e valorizar as nossas tradições.

COMENTÁRIOS ()