Quarta-Feira, 28 de Outubro de 2020 |

Editorial

A volta as aulas em meio a eleição

Por Redação em 09 de Outubro de 2020


O tema do retorno as aulas voltaram à tona nesta semana. Isso porque, com a saída da bandeira vermelha por 15 dias, o Governo do Estado autorizou a retomada das atividades nas instituições de ensino. Contudo, a Prefeitura de Alvorada já informou que as escolas da cidade não devem retornar as atividades em 2020 devido a pandemia do coronavírus.

Em meio a isso tudo, as escolas particulares estão fazendo todos os esforços para a volta as aulas. Isso investindo em infraestrutura, qualidade de ensino e condições sanitárias para se evitar uma segunda onda da pandemia. Só que elas fazem tudo isso sem previsão ou perspectiva concreta se poderão ou não retomar as atividades nos próximos dias – conforme determina o Estado.

Em meio a esse cenário vemos as escolas particulares se preparando e investindo pesado para retomar as atividades, enquanto os poderes constituídos – nas esferas municipal, estadual e federal – não auxiliam as escolas publicas a retomar as atividades. Isso porque elas, muitas vezes, acabam pensando no campo político e nas eleições de 15 de novembro e deixam isso afetar a retomada das atividades.

Não se pode cravar com 100% de certeza, mas se acredita de que as eleições impactam diretamente no retorno das atividades e que, caso não houvesse um pleito esse ano, as diretrizes poderiam ser diferentes – seja para melhor como para pior. Isso porque os olhos estão mais voltados para o pleito de 15 de novembro do que para o controle da pandemia do coronavírus.

Isso sem falar da falta de unidade entre Prefeitura e Estado, assim como houve entre União e Estado no início da pandemia. Se no passado era sobre a abertura ou fechamento das atividades econômicas, agora o embate é sobre a retomada ou não das aulas nas escolas públicas. Só que Alvorada pode viver um cenário onde as escolas estaduais funcionem e as municipais não – pelo que se tem de informação até agora.

E os mais afetados por todo esse jogo político que existe são as crianças, que não deveriam ter nada a ver com isso. Elas podem ou não voltar as aulas? O que difere o aluno do município para o do estado? Como fazer para garantir a segurança de todos em meio a pandemia do coronavirus. Infelizmente o interesse que deveria ser na saúde das crianças e no seu aprendizado, está em outro lugar e pouco pode-se fazer nesse momento. É o momento político se sobrepondo sobre a saúde e educação. E quem perde somos todos nós.

COMENTÁRIOS ()