Sexta-Feira, 21 de Julho de 2017 |

Editorial

Avisos que maio nos traz...

Por Redação em 31 de Maio de 2013


E as águas de maio invadiram Alvorada nesta quarta-feira, levando o trânsito ao caos em alguns momentos do dia e as pessoas à apreensão, não apenas por conta da forte chuva acompanhada de raios e trovões, como também pelo risco de cheias nos já tradicionais pontos da cidade onde isso acontece.
É o outono dando um aperitivo do que será o inverno: frio, rigoroso e chuvoso, o que leva todos a se preocuparem antecipadamente.
Campanhas do agasalho já se multiplicam pela cidade. Pensando nos menos abrigados e afortunados, o poder público e empresas privadas se somam a entidades assistenciais no sentido de buscar alento àqueles que não tem condições de adquirir roupas quentes ou mais novas do que as que já possuem.
Inovando, o Gabinete da Primeira Dama, junto com a Secretaria do Trabalho, Assistência Social e Cidadania, lançaram a Casa da Cidadania, com a Loja Social, que pretende distribuir as doações de roupas de uma forma menos assistencialista, com cada família tendo a possibilidade de escolher o que precisa. Uma boa ideia, principalmente quando são tantos os necessitados e com o risco de serem poucos os beneficiados.
Mas e os demais fatores que se complicam com a chegada do inverno, suas chuvas e frio? Como está a limpeza dos arroios, que devem suportar pancadas de água como aconteceu essa semana? E os bueiros, já estão sendo limpos?
E as novas obras de infra estrutura, que são esperadas há muitos anos, já estão sendo ao menos pensadas por nossos novos administradores municipais? Ou foram slogan de campanhas passadas?
Nos parece que mais um inverno vai se passar com dificuldades para a população, principalmente a mais carente. Já que as ações mais básicas de limpeza e manutenção ainda não foram realizadas, como a capina dos canteiros centrais das avenidas, das praças nos mais diversos bairros, pátios escolares ainda sem serem limpos...
Enquanto isso, o Executivo encaminha para a Câmara e aprova uma lei que cria a “gratificação de estímulo ao acompanhamento de projetos e obras aos engenheiros” e ainda mais cinco cargos de confiança, que se somam aos já criados no início do mandato, no município com um dos mais baixos PIBs do Estado. E “empurra com a barriga” o reajuste dos vale refeição de seus funcionários alegando que não há dinheiro em caixa.
Vai entender...

COMENTÁRIOS ()