Segunda-Feira, 19 de Outubro de 2020 |

Editorial

Bem na semana do aniversário

Por Redação em 21 de Setembro de 2018


A época dos grandes festejos está em alta em nosso meio. Após os desfiles patrióticos de 7 de Setembro, o júbilo das celebrações acontecem ainda no decorrer desta semana. Na segunda-feira, 17/09, comemoramos a data magna da emancipação de Alvorada, cidade filha de Viamão.

Na quarta-feira, 19/09, o baile oficial do município em grande estilo para marcar mais esta data. E na quinta-feira, os festejos farroupilhas que movimentaram os Centros de Tradições da cidade com grande euforia e o apagar da chama crioula no final do dia.

Porém antes disso, a avenida central será tomada pelos desfiles dos tradicionalistas da maneira como só o povo gaúcho o sabe fazer. E o acampamento segue forte até o final de semana, com rondas nos galpões e churrasco para servir os visitantes.

E neste clima festivo o legislativo municipal convidou secretários da Fazenda, Administração e Obras para dirimir dúvidas a respeito das finanças do município e o do porque dezenas de obras literalmente paralisadas em vários locais da cidade. Além disso, a falta de conservação de ruas, o que marca constantemente o governo municipal. Enquanto isso, no Bairro 11 de Abril uma fábrica nova de PAV’s reluta, teima em ser inaugurada, sempre faltando mais um item para o seu pleno funcionamento. E isto se arrasta a anos.

Porém a falta de gestão municipal que percorre os anos, agora tem um novo entrave: a finalização imediata das obras inacabadas ou a devolução de milhões aos cofres do BNDES. Ao total são dezenove ruas, em diversos bairros, que já foram anunciados seu início e final. No entanto, não estão prontas. Algumas empresas desistiram, outras sumiram, e as que ficaram, continuam esperando a posição firme do governo municipal e estadual.

Neste clima de festa, mais um alvoradense trabalhador, tomba, deixando órfão um filho e a esposa. A solução para a segurança pública continua somente no papel, pois câmeras de vídeo-monitoramento não existem mais e o alto valor despendido para tanto foi ralo abaixo. A falta de gestão e responsabilidade da coisa pública. A promessa, no papel, do vídeo-monitoramento, com mais tecnologia, mais avanços, continua enchendo gavetas de papel e soluções mágicas em ano eleitoral.

E em plena véspera das eleições que se avizinha para o próximo mês, seja um momento de reflexão para um município, estado, país que queremos ter e viver. Que não deixemos as ricas promessas encher os nossos ouvidos. Que no momento do voto sejamos efetivos cidadãos brasileiros votando plenamente de acordo com a nossa consciência.

COMENTÁRIOS ()