Segunda-Feira, 19 de Outubro de 2020 |

Editorial

Conselho Tutelar X Partidos Políticos

Por Redação em 03 de Julho de 2020


Uma relação difícil e que não precisa existir, mas que em algum momento ocorreu e hoje já não vivem mais separados. Essa é a relação existente entre o Conselho Tutelar e os partidos políticos. Esse assunto voltou à tona nesta semana após as acusações de perseguições políticas contra conselheiros que não são filiados a partidos que compõem a atual administração.

Obviamente que o Conselho Tutelar é um órgão independente e os conselheiros foram eleitos em outubro do ano passado. Contudo, uma eleição que deveria ser para visar a garantia aos direitos das crianças e adolescentes virou um palanque eleitoral, cargo em governo ou termômetro para as eleições municipais do ano seguinte. Isso fica nítido quando se analisa de forma mais profunda o debate.

Todos – ou quase todos – os conselheiros eleitos foram apadrinhados por políticos do município e/ou tem relação com os partidos da cidade. A eleição de conselheiros deixou de ser algo mais simples e virou disputa de voto e de poder para siglas partidárias. Afinal, quem não quer ter um representante dentro do Conselho Tutelar para poder auxiliar em alguma demanda específica?

Contudo, toda moeda tem os dois lados. Assim como partidos de oposição não tem cargos no governo, conselheiros que não são do mesmo partido da administração podem ser penalizados? Na teoria não, mas nunca se saberá de fato o que acontece nas reuniões dos diretórios políticos, gabinetes dos poderes ou reuniões secretas entre os grandes nomes de Alvorada.

As eleições do Conselho Tutelar jamais deveriam ter sido misturadas com as relações políticas. Se colocado na balança, há mais prejuízos do que benefícios nesta parceria. O Conselho precisa ser independente para realizar o melhor trabalho sem ter medo de represálias políticas. O foco não pode ser eleitoral, mas sim de garantia de direitos de quem precisa ser defendido.

Acompanhamos de perto a eleição do COMDICA, dos primeiros conselheiros e vimos a lisura e o afinco dos que estavam à frente. Com o decorrer dos anos houve a ingerência política chegando a atual situação e estamos presenciando o quão prejudicial. Quem mais perde nisso são exatamente os que devem ser atendidos: as crianças e adolescentes. Tomara que os episódios que estamos vivendo em pleno 2020 sejam infundados e não esteja havendo perseguição por ideologia política, mas a frase de: “eu te avisei” vem em boa hora.

COMENTÁRIOS ()