Sexta-Feira, 26 de Maio de 2017 |

Editorial

Contra a violência e pela preservação da vida

Por Redação em 26 de Novembro de 2013


Na quarta-feira, 20 de novembro, iniciou uma campanha de 16 dias de ativismo pelo fim da violência contra das mulheres. Em Alvorada, o Fórum do Comdim pretende manter viva a discussão sobre o assunto, lembrando que as maiores vítimas são sempre as crianças e as mulheres. E dados de que 25% das mulheres grávidas são agredidas tornam essa afirmação ainda mais séria.
O tema deste ano é "Compromisso e Atitude pela Lei Maria da Penha - A Lei é mais forte" e a campanha foi lançada em 1991 pelo Centro de Liderança Global de Mulheres, exigindo a eliminação de todas as formas de violência contra as mulheres e é desenvolvida anualmente, com milhares de organizações participando do evento em mais de 154 países.
Quanto ao período da campanha, foi escolhido por conter importantes datas de conscientização e em defesa das mulheres, sendo que no Brasil foi incluído o 20 de novembro, Dia da Consciência Negra. Além disso há o 25 de novembro, Dia Internacional da Não Violência Contra as Mulheres; 1º de dezembro, Dia Mundial de Combate à AIDS; 06 de dezembro, Dia Nacional de Mobilização dos Homens pelo fim da Violência contra as Mulheres; 10 de dezembro, Dia Internacional dos Direitos Humanos.
Contudo nos perguntamos que seres humanos somos nós, que precisamos de campanhas para preservar a própria espécie; preservar aquela que dá vida e que, justamente no período em que gera é ainda mais visada pelos que praticam violência.
Nossas mulheres e crianças necessitam de leis e entidades que as protejam; há conselhos municipais que garantem sua segurança e bem estar. Mas para que essa situação tenha um fim é necessário também (e primordial) investir na educação e na saúde.
Educando futuros adultos com responsabilidade e respeito é que conquistaremos um futuro melhor e de paz.

COMENTÁRIOS ()