Sábado, 25 de Março de 2017 |

Editorial

Depois do carnaval, tudo volta ao normal

Por Redação em 13 de Fevereiro de 2015


Diz um adágio popular que o Brasil somente começa o ano trabalhando após os festejos do Rei Momo. Em outras palavras, inicia na quarta-feira de cinzas, quando lembramos a entrada da Quaresma. E isto que já se passaram mais de seis semanas do ano novo. Ano novo este que não parou sequer um dia sem que tivéssemos alguma notícia alvissareira. E para os chargistas de plantão, contadores de piadas e demais não faltava tônica para preencher os seus espaços. Aliás, sobrava e continuam sobrando motivos até inimagináveis para traçar as suas linhas.
Mas nesta véspera novamente vem mais uma surpresa e esta para muitos já estava escrito. No dia de ontem, o doleiro e delator Alberto Youssef reafirmou em depoimento que o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu e o tesoureiro petista João Vaccari Neto eram intermediários e recebiam propinas de empreiteiras. Cabe a todos eles, dentro da nossa legislação, a referida defesa mas é uma grande lástima vermos hoje o suor desenfreado dos brasileiros para tornar um país mais justo, ver as suas economias irem ao ralo em pleno dia. E nesta véspera de carnaval, o dólar atinge patamares a poucos meses inimagináveis, a economia caindo vertiginosamente e o desemprego batendo a porta de milhares de lares.
E para muitos é hora de sair, de buscar novos ares, de paz, de isolamento. E é o que fazem os turistas, pois viajar para o estrangeiro se tornou impossível. O turismo brasileiro agora está em alta e serra e litoral festejam estes dias momescos. E também grande parcela de jovens preferem o seu retiro espiritual, longe do que o mundo oferece de graça. Retirantes momentâneos e que retornam mais alegres, vibrantes, pujantes com o descanso merecido e a alma cheia de regozijos, sabedores de que estes certamente foram os dias melhores aproveitados do ano novo que se inicia.
E certamente nos encontraremos na semana que vem após uma breve pausa forçada de dois dias, que se transformam com o final de semana em quatro dias. E que as notícias dos exageros do trânsito, da violência destes dias de folga não se transformem em tormento para o resto de nossas vidas. E sim que o saibamos aproveitar o máximo possível de forma positiva e compartilhar estes dias com quem nos cercam.

COMENTÁRIOS ()