Segunda-Feira, 25 de Setembro de 2017 |

Editorial

É o povo que sofre...sempre!

Por Redação em 20 de Novembro de 2015


Estamos às vésperas de mais um verão. Ele dia após dia se aproxima e com ele o calor não poderia de deixar de se fazer presente. E as chuvas, conforme o previsto, serão acima da média neste período, pois o aquecimento das águas do Oceano Pacífico colabora para tal situação. E o calor e chuva não combinam.

A abordagem das centenas de focos do mosquito e da presença de larvas do Aedes Aegypti, transmissor da dengue nos traz grande preocupação devido ao já exposto acima. O grupo disponibilizado para orientar a população está muito aquém do esperado e tardiamente segue para alguns bairros.

Em contrapartida, a secretaria de Obras, já deveria ter dado vários passos à frente exigindo dos moradores a limpeza de seus imóveis abandonados. A Fiscalização, que se mostra inerte e com parcos recursos não chega a tempo ou faz vistas grossas para casos escancarados em toda a cidade.

Aliás, isto não é somente mérito deste governo, porém se evidencia em muito. Os gabinetes lotados de “Cargos de Confiança” chegam à frente dos combates, pois a verba se extingue em si própria. O combate não é feito no paço municipal ou praça central. Ele é feito longe do centro, onde o poder constituído reluta em chegar. Ou quando chega...

Esperamos que o “Deus que é brasileiro” olhe com amor a nossa terra. Pois os descasos das autoridades constituídos é um espelho no estado de Minas Gerais, onde as decisões eram tomadas em gabinete e os poucos recursos não chegavam aonde efetivamente deveriam chegar. E o caos no Vale do Rio Doce chegou e não foi por falta de alertas.

E para nós fica o exemplo para que façamos a nossa parte cobrando e orientando os atuais ocupantes do paço municipal a sair do “palacete” e ver como o nosso povo sofre.

COMENTÁRIOS ()