Quarta-Feira, 30 de Novembro de 2022 |

Editorial

É preciso diálogo e cobrança

Por Redação em 10 de Dezembro de 2021


Essa semana as fortes chuvas voltaram a atingir Alvorada. Junto dela também vieram a preocupação e os problemas que surgem em dias com grandes volumes de água em pouco tempo: ruas alagadas e o Arroio Feijó com lixo e prejudicando a fluidez do córrego. Esse cenário não é novo e, por mais que tenha apresentado melhoras, ainda precisa de algo muito a mais a ser feito.

Obviamente que temos ciência de que foi uma enxurrada e que logo depois a “normalidade” havia retornado, mas existem problemas que precisam ser solucionados. É necessário pensar em alternativas que coíbam de fato o descarte irregular de resíduos, assim como também é necessário pensar em um trabalho mais efetivo de limpeza das bocas de lobo no município. Além é claro, óbvio, o esgoto a céu aberto e o fétido cheiro por dias.

Outra solução que precisa ser pensada é sobre a ponte do Arroio Feijó no Bairro Americana. A estrutura antiga conta com vigas e grades que prejudicam o trânsito da água em dias de chuva. Sabe-se que é uma obra cara – construir uma nova ponte –, mas chuvas torrenciais como essa que vimos estão se tornando cada vez mais comuns e alternativas precisam ser pensadas. E urgentemente.

Essas soluções precisam focar na mobilidade urbana, no meio ambiente e na qualidade de vida dos moradores. Sabe-se que existem o projeto do dique junto a METROPLAN e que ele seria de grande valia para todos, mas essa iniciativa está em estágios iniciais há muitos anos e os moradores não podem ficar esperando receosos há cada vez que o dia fica nublado. Ou novas promessas em épocas eleitorais.

Na segunda-feira, 06/12, quando Alvorada foi atingida pelas chuvas, muitos dos problemas de trânsito tinham relação com Porto Alegre. Era lá que o problema estava, mas acabava afetando Alvorada. Recentemente, quando a ponte da Gleba foi reformada, havia a necessidade de adaptações pelo lado da capital que até agora não foram feitas.

Não tem como alguém da administração municipal pressionar para que a capital faça parcerias conosco? Os prefeitos são do mesmo partido e, recentemente, houve um evento do MDB de Alvorada em que o prefeito Mello esteve presente. Isso significa que existe uma relação cordial entre ambos. Porque não recorrer e cobrar algo? É preciso se pensar em soluções para que as chuvas frequentes não tragam os problemas frequentes de volta.

No passado eram o “alinhamento das estrelas” a retomada. E hoje? Urge a necessidade ímpar de um diálogo urgente com as autoridades do vizinho município para que lá sejam tomadas as medidas necessárias. Não podemos viver a mercê da boa vizinhança e os fatos concretos não acontecerem. E o mais grave se repete dia após dia: o caos no trânsito na entrada da Capital.

COMENTÁRIOS ()