Quinta-Feira, 22 de Junho de 2017 |

Editorial

Falta conscientização

Por Redação em 16 de Setembro de 2015


As fortes chuvas que atingiram o Estado em julho ainda estão dando o que falar em Alvorada. Além do prejuízo que as famílias tiveram, o desassoreamento do Arroio Feijó, que foi iniciado em agosto, é algo que vai beneficiar os ribeirinhos, pois muita areia e muito lixo foi retirado do Arroio. No entanto, todo este material ainda está às margens do Feijó.
As desculpas são inúmeras e a falta de verba é a principal. Acreditar que existe falta de verba para fazer o remanejamento desta areia? Sim, acreditamos, pois estamos em tempos de crise, no entanto, o que poderia ser feito com máquinas da Administração Municipal, mesmo que demorasse mais tempo, pode acabar causando danos muito maiores.
Diversos moradores, que não tem consciência alguma, estão aproveitando a “bagunça” que se instaurou às margens do arroio e estão depositando seus lixos particulares ali. De repente eles esperam que a prefeitura recolha os dejetos quando resolver recolher a areia. Falta conscientização dos dois lados.
Se o poder público não der o exemplo, como a população vai ser correta? Hoje em dia é ingenuidade falar que “não sabe onde descartar corretamente o lixo”, pois todos sabem que as vias públicas da cidade nunca foram e nunca serão um local para isto.
Mas por outro lado fica difícil cobrar que o morador seja correto se o governo não é.
Esta areia que foi retirada do Arroio Feijó está suja e muito contaminada, pois as águas são poluídas. Muitas pessoas estão buscando a areia para realizarem construções nas suas casas, assentamentos de terra, calçadas e muros. Isso é um caso de saúde pública!
A pergunta que fica é: quando este material vai ser retirado? Para onde ele vai? O que vai ser feito com ele?

COMENTÁRIOS ()