Quinta-Feira, 23 de Março de 2017 |

Editorial

Intolerância com o intolerante

Por Redação em 12 de Setembro de 2014


Nas últimas semanas o Estado vem sendo bombardeado por notícias que veiculam em nível nacional e que apresentam os gaúchos como um povo racista e intolerante.
A situação iniciou em um campo de futebol e agora chegou a um galpão de CTG, ou seja, dois palcos das maiores paixões gaúchas: o esporte e o tradicionalismo.
Enquanto a jovem branca que ofendeu o jogador de futebol negro foi apontada como máxima representante dos torcedores gremistas e, consequentemente, gaúchos, a atitude de uma juíza no interior do Estado foi mal recebida por parte da comunidade local, contrária à realização de um casamento gay em um galpão de CTG.
No primeiro caso houve um grande erro, até mesmo um crime, que é o de difamação e racismo. Contudo não nos cabe julgar a torcedora e essa atitude pode ser até mesmo perigosa, já que são públicos os casos semelhantes em que a ira popular faz do agressor uma vítima e da sentença pública uma condenação inúmeras vezes muito mais violenta do que a realizada inicialmente.
A moça errou e será julgada; o clube igualmente foi julgado e punido pela atitude tomada em sua casa, já que a Justiça Desportiva entende que é de responsabilidade do Grêmio o comportamento de sua torcida. E cada um de nós pode ter a sua opinião.... O que não podemos é julgar e condenar.
Já no que se refere ao casamento comunitário promovido no interior, a questão nem é tanto o casal gay que vai participar da cerimônia (já houve outra este ano, sem ter provocado tamanho alarde). O fato é que a cerimônia está marcada para esse final de semana e acontece em um galpão de CTG, um dos últimos redutos da tradicional família gaúcha e os frequentadores do lugar se sentiram aviltados pela iniciativa.
Novamente não nos cabe julgar, até porque é a Justiça quem está organizando o evento. Mas podemos avaliar o choque que será para aquela comunidade presenciar algo tão “moderno” em um recanto tradicionalista.
E novamente vem a prova de que a intolerância pode, muitas vezes, fazer com que as pessoas percam a noção de limites, porque nessa madrugada o local que estava sendo vigiado por parte da patronagem do CTG, foi atingido por um incêndio de pequenas proporções. Um ato violento que poderia ter vitimado um inocente, condenando assim toda uma comunidade a um trauma ainda maior.
Portanto, devemos tomar cuidado com os julgamentos e com as condenações, até mesmo as promovidas pela Justiça, para que nossas atitudes não sejam definitivas e acabem por prejudicar toda uma sociedade.

COMENTÁRIOS ()