Quinta-Feira, 23 de Novembro de 2017 |

Editorial

Julgando o livro pela capa – ou pelo título

Por Redação em 14 de Março de 2014


É triste ver que ainda há quem julgue um livro pelo seu título ou suas cores. Sem mesmo conhecer o conteúdo da obra, existem aqueles que, de forma irresponsável ou por desconhecimento, comentam sobre o que não conhecem, sobre o que não se deram ao trabalho de ler. Levantam testemunhos falsos, condenam, apontam e, finalmente, mostram sua própria ignorância.
Contudo, muitos deles são considerados sábios, sem que aqueles que os admirem se deem conta que é justamente a inteligência seu maior defeito. Porque a soberba e a prepotência (característica daqueles que julgam pela capa/título/cor) encobrem qualquer resquício de sabedoria. Quem se acha muito inteligente, acaba caindo na armadilha da burrice! É fato.
Há ainda aqueles que remontam aos piores atos já conhecidos, e recolhem impressos que vão contra as suas convicções políticas, religiosas ou pessoais. Assim como aconteceu nos piores períodos da história da humanidade, promovem verdadeiras fogueiras com livros, jornais, revistas... em uma verdadeira caça às bruxas, ou caça à verdade.
O pior é saber que a tal obra pode conter informações partilhadas pelo próprio opressor que, quem sabe arrependido de sua participação ou por desconhecimento de causa (Ah é! Ele não leu!!!), novamente cai no erro, na temida ignorância.
E entre os seus seguidores (pasmem! há defensores para tamanha barbaridade) estão muitos que, assim como seu líder, não leram ou conheciam o livro apenas pela capa, o julgando impiedosamente.
...
Este ano lembramos os 50 anos do Golpe Militar e nos entristece ver que muitos ainda usam a repressão como arma na busca pelo poder, deixando de lado o diálogo, a tentativa de boa convivência, a verdadeira cidadania... que é o que gera o respeito e a admiração que nem sempre o poder confere.
Vemos que após meio século, ainda há brasileiros vítimas da intolerância, do despreparo e da violência que é a falta da liberdade de expressão.
Nós, como veículo de comunicação dessa cidade e que este ano completa 25 anos de circulação, nos solidarizamos com todos os alvoradenses, todos os gaúchos e brasileiros que tem em sua luta o mesmo lema que buscamos o “Compromisso com a Verdade”. Verdade essa que, muitas vezes, não agrada a todos, mas está comprometida com a população de uma cidade que, ao longo dos anos, está aprendendo a se valorizar e a não deixar que “estrangeiros” ou “paraquedistas” se infiltrem e acabem com a autoestima e, principalmente, tentem maquiar a realidade com palavras falsas e promessas não cumpridas.
Tudo isso, em pleno século XXI...

COMENTÁRIOS ()