Quarta-Feira, 26 de Abril de 2017 |

Editorial

Marco para a história

Por Redação em 20 de Abril de 2017


O nosso Brasil está sendo passado novamente a limpo. Isto já se deu em anos anteriores, agora, mais fortemente com a presença do Poder Judiciário alcançando de frente os incautos que sempre se achavam à margem da Lei, ou superiores a ela. Em atitude altaneira, o judiciário, tendo sua força máxima no estado do Paraná está colocando atrás das grandes figuras ilustres da vida púbica brasileira. Grandes empresários, políticos, atravessadores, todos juntos nas masmorras de Curitiba e outros locais.

A quem diga que tem inocentes. E com certeza existem. E a eles está se dando o tempo suficiente para bem se defender. Os grandes discursos não libertarão ninguém, mas a vida deles passado a limpo é que os inocentarão.

E aqui na nossa terra, a Capital da Solidariedade, se espera muito e muito mais das nossas autoridades. E felizmente estão dando espaço necessário para que as atividades por eles não alcançados sejam suprimidas pela iniciativa. Inúmeras praças, passeios públicos estão sendo atendidos por entidades filantrópicas ou por pessoas anônimas. E que juntos tem o objetivo de melhor viver na comunidade na qual estão inseridos.

Exemplos dignos são os moradores de um dos bairros mais populosos da cidade e que carecem da presença do poder público. O Conjunto Residencial 11 de Abril recebem de uma empresa, de quem nem sequer conhecem a direção, tinta suficiente para pintar todos os edifícios do bairro. Os moradores entram basicamente com a mão-de-obra, ou pagam para a referida pintura, sem despesas com a tinta.

Exemplos simples e dignos de prestarmos a nossa singela homenagem, a um bairro carente, porém unido em seus desafios. E lá também, como no Porto Verde, em breve o Jornal A SEMANA estará presente identificando as suas ruas, vivas pelos anos, mas sinalização apagada pelo tempo.

E isto não seria possível sem a privilégio dos assinantes, anunciantes, apaixonados pelo jornal que se fazem presentes e prestigiam com a sua leitura nos seus lares e local de trabalho. E também na forma digital imprescindível nos atuais tempos. E não se esquecendo, o tio Rudi Scheer, apaixonado pela cidade que tão bem o acolheu e com o apoio de muitos está deixando a sua marca nas esquinas da cidade.

Isto que vem acontecendo em vários locais da cidade é reflexo de que a parceria público-privada dá certo, quando há ausência por vários motivos do governo. Desta forma cabe a nós e a outros fazer o melhor para a sociedade já que os que escolhemos não o fazem como deveria.

COMENTÁRIOS ()