Sábado, 27 de Maio de 2017 |

Editorial

Mazelas de outubro

Por Redação em 26 de Outubro de 2012


Outubro parece ser o mês das grandes decisões, das escolhas importantes, de definir o futuro, seja pessoal como de um grupo.
Após as eleições de 7 de outubro, um outro pleito movimentou o Estado, a eleição da nova diretoria do Grêmio.
E a exemplo do que aconteceu em nossa cidade, a oposição também venceu no Estádio Olímpico. Contudo, por lá as coisas não mudam muito, pois já foi assegurada a permanência do técnico do time principal, assim como também o projeto do Estádio Arena segue sem qualquer contratempo.
Por outro lado, em Alvorada, muitos foram os rumores de suspensão de programas e projetos, estagiários dispensados e CCs (cargos em confiança) exonerados, sob a alegação de fechamento de contas e fim de cumprir com a legislação fiscal.
E apesar de todas as surpresas e desconfortos que se instalaram há poucos dias da eleição, essa semana foi dado o “golpe de misericórdia” às intenções mais lúdicas do povo alvoradense.
A notícia do cancelamento da Feira do Livro de Alvorada, inclusive com a dissolução da equipe de trabalho, apesar dos rumores que já circulavam pela cidade, foi uma grande e desagradável surpresa.
Lançada há 13 anos a partir de Projeto de Lei de autoria do vereador Prof. Borba, que foi derrotado nas urnas por uma pequena margem percentual, a Feira se tornou um marco da cultura e educação na cidade.
Em 2011 considerada uma das quatro mais importantes do Rio Grande do Sul, a Feira reuniu milhares de pessoas na Praça Central, seja para apresentações teatrais ou de música ou para a compra de obras, que tradicionalmente recebem descontos em tais eventos.
Só que este ano a praça não vai se iluminar, as carinhas não vão se alegrar com o teatro infantil ou o show de mágica, os jovens não vão se reunir no final da tarde para assistir show de artistas locais ou grandes nomes da MPB. Autores não passeiam pelas bancas de livros, professores não tem o que recomendar aos seus discípulos. Os contadores de história ficaram sem vez e voz, assim como o sino do xerife não irá soar entre as bancas.
Parece que a 13ª edição da Feira do Livro de Alvorada vai acontecer mesmo em 2013, coordenada por um partido que tem no 13 seu número de sorte. E tomara que essa estrela faça a nossa cultura voltar a brilhar na praça central.

COMENTÁRIOS ()