Quarta-Feira, 05 de Agosto de 2020 |

Editorial

Na dependência da CORSAN

Por Redação em 04 de Maio de 2018


A grande pauta das duas últimas semanas na cidade é a possível assinatura de contrato da parceria público-privada (PPP) entre a Prefeitura de Alvorada e a Companhia Riograndense de Saneamento (CORSAN). Isso porque, um projeto que tinha tudo para ser aprovado rapidamente, acabou gerando debates na Câmara de Vereadores.

O editorial deste jornal não tem como objetivo dizer se o projeto é bom ou ruim. O levantamento sobre a rápida aprovação que era prevista foi vista quando o projeto subiu em regime de urgência e lideranças da CORSAN acompanharam a sessão. Isso sem falar que era necessário o projeto ser aprovado até o final de abril, o que acabou não acontecendo devido ao Legislativo.

Isso porque a Câmara de Vereadores solicitou uma audiência pública com a CORSAN e a comunidade, além de querer negociar outros pontos do contrato junto a estatal. O grande objetivo é tentar beneficiar a população alvoradense, que segue a mercê de uma estatal que falha miseravelmente nos serviços prestados e acaba decepcionando a todos.

E os vereadores estão certos em cobrar essa audiência e prestar os esclarecimentos necessários sobre essa parceria. Isso porque se sabe que a estatal deve repassar 22 milhões para Alvorada, com o objetivo de que o município consiga recuperar as vias, que foram jogadas as traças pela própria CORSAN, além da falta de fiscalização da Prefeitura.

O que não está sendo divulgado aos quatro ventos, ao contrário dos benefícios que a PPP pode oferecer, é de que as contas de água devem aumentar em cerca de 70% ─ informação do vereador Airton Pacheco (MDB) ─ e isso será sentido no bolso da população. O pior é de que apenas 2% deste recurso serão destinados para os cofres do município.

Isso para não falar do descaso que a população já vem sofrendo devido à má condição com que as ruas são entregues. São vários os relatos de que a estatal abre as valas para realizar a obra e acabam fazendo um serviço mal feito e que acaba prejudicando a todos. Temos ruas como a Alberto Pasqualini, que tinha um bom asfalto e hoje só existe através de remendos.

A população está cansada de esperar a boa vontade da CORSAN para realizar obras de qualidade em frente suas casas. Todos sabem da importância que esse recurso terá para a cidade, mas esse é o momento de cobrar por atenção para com as comunidades que mais precisam. É necessário sermos tratados com dignidade e esse é o momento de quem pediu nosso voto exigir isso.

COMENTÁRIOS ()