Sexta-Feira, 21 de Julho de 2017 |

Editorial

Na direção do bem

Por Redação em 10 de Março de 2017


A volta às aulas aconteceu nos últimos dias em todas as esferas da educação. As primeiras a retornarem foram as particulares, seguidas das públicas: estaduais e municipais. O encontro entre os professores, alunos e direção amenizou a saudade para mais um ano letivo oficial.

A educação é parte fundamental para o crescimento de uma nação. E este jargão é “chover no molhado”. Entramos de uma geração e saímos de outra geração e o nosso Brasil teima em marcar passo na qualidade do nosso ensino. Apesar dos esforços, são tantas as carências, que quando se chega ao objetivo final, ou anos após, o resultado é ínfimo.

Junto às nossas instituições de ensino, apesar da grave crise que assola a nação, diversas instituições apresentaram sensíveis melhorias visuais e principalmente didáticas. As visuais, como pintura, iluminação, quadras de recreação o poder financeiro pode resolver. Porém a qualificação profissional, a efetiva gestão educacional para poucas ou raras instituições é uma realidade. A luta árdua do dia a dia, o passar de uma gestão para outra e a continuidade da mesma é rara nos dias de hoje, pois prevalece em muito o orgulho pessoal de alguns em detrimento do bem comum.

Abordamos nesta edição novamente o retorno às aulas. Belos exemplos e promissores passos se notam em diversos recantos do município. Na semana consagrada às mulheres, uma direção peculiar, entre tantas outras, se destaca no bairro Piratini. A Escola Vale Verde, apesar de todas as incertezas, vê um belo e promissor horizonte junto a sua comunidade. Exemplo que pode ser seguido por outras instituições de ensino que tem a seu dispor um belo espaço a ser explorado e inserido no contexto da sociedade que tão bem a acolheu.

E no destaque também, no próximo inverno teremos os movimentos lembrando o meio ambiente. O nosso cartão postal, a Lagoa do Cocão, após anos de abandono e solidão, eis que surge a integração da iniciativa privada com o poder público, tentando em poucas semanas amenizar o caos ali instalado como nunca fora visto na história do município.

O poder público se fazendo presente de um lugar de onde jamais poderia ter se afastado, porém ainda em tempo, para buscar o perdido. Porém a ele, o poder público, cabe a conscientização maior, pois todos os recantos da nossa cidade estão a espera da sua presença efetiva.

Que os próximos meses, antes da chegada dos meses chuvosos e frios, seja de alento à comunidade, como é o retorno às salas de aulas das nossas tão queridas instituições de ensino

COMENTÁRIOS ()