Quarta-Feira, 05 de Agosto de 2020 |

Editorial

Não pode ser apenas uma mudança física

Por Redação em 02 de Agosto de 2019


Esta semana foi marcada pela entrega de uma obra que se arrastou há mais de 20 anos – o projeto teve início em 1998. O fim de uma era, onde poucos acreditavam que a obra fosse realmente ser concluída. Quem nunca perguntou o que seria aquele prédio ou chamava a infraestrutura de elefante branco? Infelizmente a construção demorou, mas foi concluída e entregue sem nenhum tipo de financiamento ou empréstimo, todo recurso é proveniente do Legislativo.

Contudo, essa obra pode – e necessita – ser mais do que uma mudança física. É necessário mudar a postura. Erros e vícios que eram cometidos na antiga sede precisam ser perdidos na mudança. Uma nova era tem de iniciar neste prédio. Isso mostrará como a Casa do Povo pode e deve ser ocupada. Tanto por pessoas quanto por atitudes.

Esse prédio também pode significar uma era de renovação. Que junto com o novo prédio, surjam parlamentares que trabalhem com um único objetivo: o melhor de Alvorada. Isso independe de partido ou posicionamento político. Tanto esquerda quanto a direita têm boas ideias e o debate precisa ser criado. A democracia é assim e, quando bem feita, gera bons frutos.

Junto com o prédio, foram revitalizados – e atualizados – os quadros das legislaturas e a galeria de presidentes. Na solenidade, ex-vereadores estavam presentes. Um deles, Reni Stein (MDB), oriundo da primeira legislatura. Que grandes histórias esse político tem, mas a falta de conservação histórica e espaços que resguardem o legado da cidade são prejudiciais para o futuro.

Essa nova Câmara precisa, junto ao Executivo, lutar para que o legado destes que passaram seja mantido. Não faltará trabalho para quem realmente quiser trabalhar pela cidade e pelo seu futuro. Existem bandeiras para todos, desde a conservação da história até a projeção para o futuro. Todos os pontos que ficaram em segundo plano por muitos anos merecem o destaque na nova sede.

Ano que vem tem eleição e, junto com a nova casa, chegarão alguns novos parlamentares – alguns vereadores já anunciaram novos objetivos na carreira. Esses novos políticos serão os primeiros da nova casa. Uma nova geração que chega sem vícios e que dará sequência aos trabalhos desenvolvidos – munidos da experiência dos reeleitos. Espaço não faltará. Trabalho também não.

COMENTÁRIOS ()