Quarta-Feira, 29 de Março de 2017 |

Editorial

Não podemos acostumar...

Por Redação em 01 de Novembro de 2013


Há quem diga que muitas experiências que vivemos, sejam elas positivas ou não, acabam invadindo o nosso dia a dia e se tornam rotina.
Assim, acabamos nos acostumando com o que é bom (que se desvaloriza no nosso conceito) como também nos habituamos com o que é ruim (que aos poucos vai tomando ares de naturalidade). E é a partir daí que ouvimos termos como a banalização da violência, por exemplo.
Hoje nos parece que Alvorada vive algo semelhante. O que de bom a cidade nos apresenta, não faz mais tanto sentido e nem nos encanta como antigamente. Nos acostumamos com o que é bom e hoje já faz parte do nosso dia a dia, se tornando algo rotineiro.
Por outro lado, estamos vivendo dias de conflitos, em que a expectativa de mudança deu espaço à preocupação. São tantos os problemas que seguem surgindo, em um ritmo constante, assim como já acontecia há alguns anos, e outros aparecem e nos parecem sem solução imediata.
A população reclama e, quando pode, fala pessoalmente com os responsáveis e apresenta a sua preocupação e indignação. Há quem diga que o tempo é pouco, e que o dinheiro é menor ainda. Contudo, muitos meses já se passaram e nada parece ter sido feito. Está certo que novidades surgiram, muitas delas extremamente positivas, mas como comentado, com essas a gente acostuma e nos parece que fazem parte do dia a dia.
Assim como na vida, é comum o bom passar desapercebido e o mal tomar ares de grandeza. Em nossa cidade é igual. Os problemas surgem, poucas soluções aparecem e as novidades já não são mais tão novas assim. Elas já deveriam ter sido tomadas a tempo.
Um foco de lixo foi debelado, o local agora é ponto de encontro e lazer. Mas em outro ponto, nas proximidades, surge novo problema. E em outro bairro da cidade, uma rua é dragada pela sujeira e o abandono.
O pior é quando uma solução acaba virando problema! O que antes parecia ser uma movimentada rua de paralelepípedo se transforma em uma avenida meio acabada, em que o asfalto se apresenta pela metade e as britas tomam conta do restante. Isso sem falar na sinalização, que simplesmente desapareceu, tornando a passagem pelo local extremamente perigosa. Isso sim, é um bom exemplo das tentativas frustradas, que transformam ambiente deficientes, em locais completamente ineficientes.
E as obras seguem, e as conquistas e novidades vão surgindo. Enquanto a comunidade torce para que as novas empreitadas deem certo e não surjam ainda mais problemas para um município pobre e subdesenvolvido como Alvorada está se apresentando.

COMENTÁRIOS ()