Quinta-Feira, 23 de Novembro de 2017 |

Editorial

Natureza violada

Por Redação em 03 de Maio de 2013


Mais uma notícia de um suposto esquema de fraudes envolvendo políticos e importantes cargos em nível estadual, chegou ao nosso conhecimento durante a semana. É a Operação Concutare da Polícia Federal.
O alvo da vez foi o Meio Ambiente, o que talvez tenha causado a maior surpresa na comunidade. É que, até o momento, todos tínhamos as questões ambientais levadas como assunto sério, conduzidas por pessoas que, antes de serem políticos ou estudiosos da área, eram militantes da causa.
O Meio Ambiente tinha ‘um que’ de encantamento, de pureza, até mesmo fantasia... A fantasia de que homens e mulheres que acreditam no futuro do planeta e apostam na natureza como forma de termos esse futuro, eram pessoas incorruptíveis, inalteráveis, pois, afinal das contas, tinham o mundo natural em suas mãos.
Agora que a máscara caiu, e alguns desses já a usavam há um bom tempo pelo que podemos perceber com o desenrolar das investigações, acabou o encantamento. E nós, cidadãos gaúchos, descobrimos que não existe ambiente livre de corrupção, roubo, desvios, falcatruas e tudo o mais que tanto rejeitamos.
Acreditamos e confiamos em nossos governantes que foram escolhidos pela maioria de nós, eleitores. E acreditamos que nossos eleitos também confiassem naqueles que os assessoravam nos mais variados escalões.
Assim, fomos todos pegos de surpresa (que assim seja) e o que aconteceu foi a ruptura em mais uma corrente de confiança.
Muito mais do que a moral e a ética, estamos perdendo espaço com a natureza. Muitas são as questões que hoje nos atingem e quem muito a ver com a causa ambiental. Se hoje doenças surgem e se tornam epidemias, muitas vezes é graças ao desequilíbrio da natureza.
Vamos a um pequeno e prático exemplo:
Quem ainda não percebeu o aumentou no número de pequenos insetos como mosquitos e moscas na área urbana? Inclusive o mosquito da dengue? Mas quais são mesmos os predadores naturais desses animais?
Lhes pergunto, há quanto tempo não se ouve o coaxar de um sapo ou de uma rã? E os pássaros pequenos como pardais? Por onde andam esses pequenos animais, tão importantes para o equilíbrio do meio ambiente?
E, enquanto procuramos por aves e anfíbios, e tentamos combater insetos em nome da saúde e bem estar, alguns de nossos governantes estão se locupletando com propinas, ignorando preceitos básicos do ambiente, ganhando de forma desonesta em detrimento do bem comum.
Esperamos que mais esse caso seja não só fartamente divulgado pela imprensa, mas que também seja intensamente cobrado pela sociedade para que a impunidade não se torne ação natural contra a natureza, mais uma vez.

COMENTÁRIOS ()