Sbado, 03 de Dezembro de 2022 |

Editorial

Nem todas as mudanças são para melhor

Por Redação em 11 de Março de 2022


Essa semana ficou marcada por protestos e problemas no abastecimento de energia elétrica de centenas de moradores alvoradenses. Isso devido ao temporal de domingo – que nem foi um dos mais fortes – que teve chuva e vento. Pode-se dizer que foi o primeiro teste do grupo Equatorial após terem comprado a distribuição da energia elétrica da CEEE no início do ano passado.

O processo de privatização já é antigo e deu certo em diversas frentes. Talvez a mais emblemática e conhecida seja a telefonia móvel. Hoje o serviço é mais acessível e prestado de forma qualificada para a população. Isso faz com que outros serviços estatizados sempre sejam questionados. Os correios e a distribuição de água e energia sempre são citados nesses debates.

Contudo, muitas vezes a mudança não funciona conforme o esperado. Pelo menos é o que acontece nesse início da nova fase da CEEE Grupo Equatorial. Quem diria que um serviço que, diga-se de passagem, já não era dos melhores, pudesse piorar. Pois é essa a impressão que muitas pessoas tem ao ver o que está sendo feito. Nesta semana foram dias sem luz – algo que não ocorria há muito tempo.

Não se sabe se é falta de “Know How” na área, equipe suficiente para atender a demanda ou o que... Só se sabe que, pela primeira vez em muitos anos, moradores ficaram entre três e quatro dias sem luz. E olha que nem estamos falando de zonas inóspitas do município, mas sim do Bairro Jardim Porto Alegre e arredores, que tem milhares de moradores e intenso fluxo de trânsito.

Se os moradores questionam a piora do serviço, espera-se que os poderes constituídos façam o mesmo. A Câmara de Vereadores convocou representantes da empresa para prestarem esclarecimentos. Obviamente que esse debate é importante, assim como também será caso o prefeito compre essa briga, mas quem pode cobrar de forma mais incisiva é o governador Eduardo Leite.

É complicado saber até onde se tem jurisdição para isso agora que o processo de venda foi concretizado, mas a liderança máxima do nosso Estado não pode achar normal um município ao lado da capital ficar tantos dias sem luz. Para piorar: esse temporal nem foi o pior e, com os intensos dias de calor, situações como essa pode se tornar mais comuns – algo que a população não deveria se preocupar.

COMENTÁRIOS ()