Quinta-Feira, 22 de Junho de 2017 |

Editorial

O ano que não quer iniciar

Por Redação em 07 de Março de 2014


Àqueles que pregam que o ano inicia somente depois do Carnaval, 2014 reservou uma surpresa. Após uma Folia de Momo tardia, ocorrida nos primeiros dias de março, a população aguarda pelo feriado de Páscoa que esse ano se “encontra” com o 21 de abril (Tiradentes), criando mais um FERIADÃO.
Mas não satisfeito com isso, o ano que insiste em não começar nos apresenta ainda a Copa do Mundo, que promete parar não apenas as cidades sede dos jogos, como também todo o País.
E assim vamos, durante todo o primeiro semestre, nos arrastando pelo ano, pipocando de feriado em feriado, até chegar 14 de julho – um dia após o encerramento da competição – para finalmente podermos ter um Feliz Ano Novo.
O pior é que nos parece que a economia e os investimentos seguem o mesmo ritmo, esperando o ano começar. 2014, ao contrário do que muito imaginavam, não está sendo um ano propício ao trabalho e desenvolvimento. Estamos todos esperando pelo próximo feriado, pela próxima festa, próxima desculpa para não realizar...
Estamos esperando também pelas obras da Copa, pela melhoria nas condições das ruas da cidade, o final do problema com o acúmulo de lixo em vários pontos, pela realização de ações efetivas em educação, saúde e segurança, ...
...
A BM ganhou sede para sua 1ª Cia, mas ainda aguarda a reforma do prédio para poder assumir em novo endereço. Enquanto isso, surge no centro da cidade a Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher que será inaugurada no Dia Internacional da Mulher, 08 de março.
Mas como essa data não é de comemoração e sim conscientização, não podemos esquecer da menina que foi encontrada morta na Lagoa do Cocão essa semana. Vítima do meio em que vivia, ela foi asfixiada e o crime, de acordo com a polícia, tem relação com o tráfico e a prostituição. Com apenas 14 anos, essa jovem alvoradense havia sido acolhida pela Assistência Social em uma casa de passagem de onde fugiu inúmeras vezes. E o Estado, dessa vez, não pode protegê-la de adultos que a viam apenas como usuária ou parte do negócio. E ela agora somente é mais um número na estatística, ficando a pergunta, quem é o responsável por esse desfecho?
Essa menina marca o março de Alvorada, e deveria ser lembrada nesse próximo dia 08 como símbolo da luta de todos nós, homens e mulheres, por uma cidade melhor, onde nossos jovens possam viver dignamente, com segurança e alegria.
Onde meninas de 14 anos sejam encontradas brincando nas praças, nas salas de aula e à margem de lagoas e arroios. E não em bailes funks, bebendo na noite ou caídas ao chão, vencidas pela vida, pela droga, pela miséria...

COMENTÁRIOS ()