Quarta-Feira, 12 de Agosto de 2020 |

Editorial

O esporte mudando vidas

Por Redação em 18 de Outubro de 2019


Nesta edição deste semanário estão presentes pelo menos três matérias com a temática esportiva: o campeonato de karate, a Série Ouro e o projeto ‘Remando para o Futuro’. Todas essas iniciativas tem algo em comum: a possibilidade de mudar a vida de jovens. Essa é a força que o esporte tem ainda mais para uma cidade com tantas dificuldades como as que Alvorada enfrenta.

No caso do karate, são pelo menos 50 alunos que treinam neste dojo específico e que podem estar saindo de uma vida perigosa, onde existe drogadição e crime. Isso somente neste dojo e no karate. Não estamos falando de outros esportes e outras academias do município. Mas todas tem um ideal em comum: o projeto social mudando a vida de jovens e fomentando o esporte.

No caso da Série Ouro é o reconhecimento de um trabalho. Após cinco anos de sua fundação, a S.E.R. Alvorada chega à decisão da elite gaúcha no futsal. Enfrentará a gigante ASSOEVA e fará com que nomes, dentre outros, como o de Vefo, Gui Fonseca e o goleiro ‘Pacotinho’ se tornem exemplos e referências para quem sonha em ser um jogador de futsal. Isso mesmo. Pode-se estar criando um grande celeiro de atletas.

Nesse caso, infelizmente Alvorada pode estar saindo prejudicada. Isso porque, devido ao descaso do poder público com a entidade, existe a possibilidade – bem avançada – de a agremiação estar se transferindo para Canoas. Obviamente que o município perde com isso, mas hoje tudo ainda é S.E.R. Alvorada e esse nome pesará no incentivo ao esporte de jovens alvoradenses.

Além disso, existe o projeto do remo, desenvolvido pela Escola Érico Veríssimo. Muitos desconhecem, mas o vice-diretor e responsável pelo projeto é Marcos Polchowicz, vice-presidente da Confederação Brasileira de Remo. Isso mesmo. Alvorada tem um profissional deste quilate querendo formar novos remadores como Alef Fontoura, que participou deste projeto no passado e hoje é medalhista do Pan-Americano.

Infelizmente faltam investimentos em esporte no município. Diversos campos de futebol estão servindo de pastagens a animais e que no passado, não muito distante, respirava belas competições de diversas categorias. Espaços se tem, falta somente o querer fazer ou dar espaço aos que realmente fazem.

Existem bons projetos, como o torneio de futsal e a tradicional Copa 1º de Maio, mas nada de concreto, pensando no futuro e na formação de esportistas. Pensa-se apenas em agradar o agora, mas não se constrói projetos que pense no porvir. Falta incentivar o esporte como projeto de vida e não apenas como distração. Ele pode ser maior do que isso.

COMENTÁRIOS ()