Sábado, 27 de Maio de 2017 |

Editorial

O herói nacional

Por Redação em 19 de Outubro de 2012


Estranho é viver em uma sociedade em que um homem que age de forma correta é considerado um herói. Em que um magistrado é aclamado como super homem apenas por cumprir o seu papel, o de buscar e fazer a justiça com rigor, através da justiça.
De capa preta, o que remete aos “mocinhos” dos quadrinhos de nossa infância, o ministro Joaquim Barbosa, eleito presidente do Supremo Tribunal Federal, vem se destacando por sua seriedade e compromisso com as leis e o povo brasileiro.
Verdadeiro exemplo para grande parte da população brasileira, o ministro Barbosa é negro e tem origem humilde. O que prova também que, com educação e empenho, é possível conquistar os objetivos de maneira digna e, até mesmo, chegar ao sucesso pessoal e profissional.
Nascido na cidade mineira de Paracatu em outubro de 1954, Joaquim Benedito Barbosa Gomes, é o mais velho de oito irmãos. Filho de um pedreiro e uma dona de casa, rumou para Brasília aos 16 anos, onde concluiu o segundo grau, sempre estudando em escola pública. Se formou em Direito pela Universidade de Brasília, onde fez seu mestrado. Também na Capital Federal se dedicou à música, aprendendo a tocar piano e violino.
Sem qualquer tipo de auxílio, a não ser sua vontade própria, buscou se aprimorar profissionalmente, estudando nas melhores universidades do mundo. Atuou em Embaixadas no exterior, como oficial de chancelaria do Ministério das Relações Exteriores e hoje é fluente em quatro idiomas, além do português.
Ao contrário do que se comenta, não foi o primeiro negro a ser ministro no Brasil, mas sim o primeiro presidente negro do STF. Antes dele, também estiveram ministros Hermenegildo de Barros, de 1919 a 1937, e Pedro Lessa, de 1907 a 1921.
Contudo, nos parece que apenas agora temos verdadeiramente um herói nacional, de capa preta e que usa a espada da Justiça. Talvez por conta da gravidade dos fatos atuais ou mesmo pelo poder da mídia no século 21, coube a Joaquim Barbosa levar a frente o orgulho de ser brasileiro e a esperança de que surja, através da Justiça, um País melhor para todos nós.

COMENTÁRIOS ()