Quarta-Feira, 26 de Julho de 2017 |

Editorial

O prefeito que pouco dialoga

Por Redação em 08 de Janeiro de 2016


Com absoluta certeza o fato da semana e do início do ano que mais chamou a atenção de todos moradores de Alvorada foi a ocupação da prefeitura pelos servidores municipais que até o momento, parte deles, não receberam seus salários de dezembro, nem férias.

O fato que foi tema de noticias em vários veículos de comunicação da Capital e que também foi retransmitido para outros estados e países, mostrou à todos a falta de diálogo que existe entre o executivo e os servidores.

Funcionários estes que trabalham pela cidade, buscando o crescimento da mesma, pois são eles que muitas vezes escutam o que os administradores deste município deveriam ouvir. Durante a reunião que começou após o horário programado pela prefeitura, ficou muito claro que o atual prefeito não sabe ao certo o que ocorre de fato na cidade. E minimiza os fatos aparecendo somente em poses oficiais em gabinete ou entrega de mimos a comunidade.

Quem realmente conduziu o encontro foi seu secretário de administração, Ramiro Passos e os servidores. Além disso, em poucos momentos Sergio Bertoldi falou sobre a situação financeira da cidade, fazendo assim com que muitos falassem que era um verdadeiro fantoche, frente ao público que estava reunido no Salão Nobre, pois atitudes concretas de gestor ao longo dos anos ainda não tomou.

Dizemos que não há dialogo com o SIMA por parte do prefeito, porque até agora, em menos de um ano para encerramento de seu mandato, conforme o Sindicato, Sergio se reuniu em poucas ocasiões com a categoria.

Aliás, a demora em se reunir com os servidores também é uma das provas que deixam claro o que publicamos nesse texto. Além disso, não podemos esquecer-nos do atraso que houve antes da reunião iniciar, onde não ouve sequer um pedido de desculpas ou explicação sobre mais este atraso.

Por falta de diálogo com os servidores, a atual administração foi protagonista da maior greve de servidores municipais que já ocorreu no município. Este fato ocorreu no ano de 2014 e por 19 dias a categoria parou suas atividades e foi para o paço municipal protestar por melhores condições de trabalho.

Se o governo tivesse melhor diálogo com os servidores, que em grande maioria o apoiaram no último pleito, e cumprisse com as promessas já feitas, certamente a história seria diferente.
Primeiramente não haveriam desconfianças dos alvoradenses de onde o dinheiro está sendo empregado e quanto se recebe e se gasta.

Ainda, nossa cidade não estaria mais uma vez tão mal falada por além das fronteiras daqui. Se quisermos que as pessoas tenham um pensamento diverso do que ocorre hoje para com o município, os que governam é que devem ser o exemplo e atender bem os que trabalham e labutam para o bem de Alvorada.

COMENTÁRIOS ()