Sábado, 27 de Maio de 2017 |

Editorial

O que esperar de um novo ano?

Por Redação em 28 de Dezembro de 2012


A cada 31 de dezembro temos a sensação de que podemos mudar o rumo de nossas vidas, nossa história.
Contudo, na maioria das vezes, o que experimentamos é apenas mais um dia que passa, mais um mês que finda, um ano que muda.
Está certo que esse dezembro foi diferente, com a chegada do suposto “Fim do Mundo”, mas o Natal chegou e o Ano Novo bate à nossa porta.
Então, já está acabando o ano, e junto com ele chega a época de, novamente, prometermos drásticas mudanças, que na maioria das vezes, não acontecem. Mas qual o sentido de termos propostas desafiadoras, se não nos esforçamos para cumpri-las?
Como teremos um novo ano se seguimos sendo as mesmas pessoas? Que sentido tem querer mudanças no mundo se não mudamos em casa?
Só poderá nascer um 2013 melhor, se de algum modo nós mudarmos, e mesmo que o mundo permaneça o mesmo, quem sabe uma cabeça pensando diferente, causará um impacto sem igual. E de que modo teremos um mundo melhor, se não iniciarmos por nós? É exatamente como dizem “De grão em grão, a galinha enche o papo”, e por mais clichê que seja, isso se aplica totalmente ao nosso mundinho, pois de mudança em mudança, algo pode ser transformado.
E, por fim, como mudar o mundo sem amar? E é neste momento que entra o Natal, com a comemoração do nascimento do filho de Deus, quando Ele deu seu maior bem para nós por amor, e por esse mesmo amor, mais tarde, esse Filho deu sua vida em prol da humanidade. Me pergunto o quão maravilhoso seria se pudéssemos retribuir um pouco desse amor, e mesmo para os que não creem, se pudéssemos fazer algum bem para um alguém qualquer, se faríamos alguma diferença no mundo.
Infelizmente nem todos pensam assim, mas como ações são contagiantes, e se tudo der certo, um dia o mundo todo estará contagiado pelo amor.
Por fim, desejamos a todos um 2013 realmente próspero e que as promessas do Ano Novo possam realmente ser cumpridas e que 2013, com a ajuda de todos, possamos trazer muito mais alegrias e menos tristezas na avaliação que faremos no próximo dezembro.

COMENTÁRIOS ()