Quarta-Feira, 20 de Setembro de 2017 |

Editorial

O que foi deixado por Leonardo Boff?

Por Redação em 19 de Fevereiro de 2016


“A educação deve ser tida como peça chave para o crescimento de uma cidade”. Com estas palavras e tantas outras, o professor, escritor e teólogo Leonardo Boff foi estrela em 2015 quando do início das atividades escolares.

Estamos completando um ano de sua passagem e sonhos de concretização possíveis a curto e médio prazo e grandes desafios e tarefas nos foram deixados. As autoridades que estavam nos primeiros bancos estavam atônitas com tanta sabedoria despejada como um rio resplandecente ao destino do mar.

Passado o ano, retroagindo as responsabilidades da área da educação, alunos retornando às salas de aula, nota-se que quase nada, ou muito pouco foi realizado na área da educação para a recepção dos alunos no novo ano escolar. Estudantes à espera das melhorias esperadas por longos anos ainda não aconteceram e nem sequer perspectiva concreta de ter, em alguns casos, uma simples quadra de esporte coberta. Outros as salas de aulas sem ventilação, falta de professores, falta de material e a falta de salas de aula.

Na história recente da cidade, é a administração que menos salas de aula construiu e quando da finalização do último ano, os professores, leais ao seu exercício, ficaram sem receber a sua bonificação tradicional de final de ano. Isto que quando era legislador, o prefeito defendia enfaticamente o abono para todos os servidores. Porém a história é inversamente proporcional às promessas de outrora.

Aos alunos que adentram as salas de aula, a alegria de rever os amigos fiéis, professores abnegados ao cumprimento do dever e a magia de ser criança sempre. Alegre, sonhadora, estudante, feliz por estudar e sonhar por um mundo melhor.

De igual forma as escolas municipais, as escolas particulares também recepcionam os seus alunos, pais e mestres para mais um ano de labuta e após o dia 29 de fevereiro, fechando o ciclo, as escolas estaduais. A todos um ano repleto e cheio de plenas realizações.

COMENTÁRIOS ()