Quarta-Feira, 30 de Novembro de 2022 |

Editorial

O reflexo que o pagamento do IPTU deve trazer

Por Redação em 21 de Janeiro de 2022


Há dois anos atrás Alvorada era notícia em grandes veículos de comunicação e não por conta da violência como ocorre volta e meia. O tema em questão era o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) que tinha uma arrecadação pífia sendo o município com maior número de inadimplentes na região metropolitana.

Na época fizemos o paralelo entre a arrecadação baixa sendo um reflexo da cidade por conta do desemprego, falta de renda, problemas sociais e o descrédito que a política sofre não só em Alvorada, mas no Brasil como um todo.

No entanto, nesta edição trazemos os valores arrecadados até o dia 10 de janeiro, quando a Prefeitura dava ao contribuinte 30% de desconto em cota única. Conforme dados da Secretaria da Fazenda a soma de tudo isto supera os R$ 17 milhões correspondendo a 74% do valor estimado dos recebimentos de IPTU para este ano.

Pelo visto a arrecadação está aumentando ano após ano pois em 2021 o total arrecadado foi de R$ 23,5 milhões e neste ano ainda muitos contribuintes devem pagar seu imposto com desconto de 15% até 15 de fevereiro e 10% até 15 de março. Estes descontos devem resultar em R$ 25 milhões. Pelo menos esta é a projeção que a Secretaria da Fazenda faz.

Em contrapartida a esta arrecadação que vêm aumentando conforme demonstrado acima e, deve seguir neste prisma, a Prefeitura precisa realmente prover ao seu povo o melhor. Uma saúde que qualifica o seu povo; um ensino que edifica o seu povo; uma segurança de ir e vir a qualquer momento.

No entanto, infelizmente muitas ruas de Alvorada viraram um verdadeiro rio com as últimas chuvas de verão. E é histórico, pois como se diz por aí “cano enterrado não dá voto”. Foi pífio o investimento para escoamento de águas fluviais nos últimos anos. Galerias subterrâneas nem nas pranchetas estão. De norte a sul o retrato é um caos nos dias de chuva e grandes foram as promessas e aplicação efetiva muito pouco, ficando basicamente no desassoreamento dos arroios que correm pela cidade.

Que juntos, Executivo e Legislativo ouçam o clamor do povo, pois a cada breve chuva o transbordamento em pontos tradicionais há vários anos vira um caos. Inclusive a rua das secretarias de Obras e Viação, Serviços Urbanos e outras vira um caos, virando um triste retrato do muito que ainda deve ser feito. Que o retorno dado pelos alvoradenses em seu IPTU venha efetivamente acalentar o tão almejado sossego nos dias de chuvas.

COMENTÁRIOS ()