Quinta-Feira, 25 de Maio de 2017 |

Editorial

Os amigos do rei

Por Redação em 14 de Dezembro de 2012


Uma prática antiga no meio político e empresarial, mas um tanto nociva à comunidade, deve ser combatida com vigor.
Adotada em todos os cantos do País e até mesmo do mundo, os benefícios conquistados pelos amigos do “poder” acabam por engessar ações, prejudicar o verdadeiro objetivo da política – que é a busca do bem comum – além de ser o centro de muitos escândalos da atualidade.
E os exemplos são os mais diversos, desde agências de publicidade que superfaturam campanhas até moradores ou pequenos comerciantes que utilizam seus espaços de maneira indevida.
E tudo é justificado porque há o apoio dos que se beneficiam financeiramente com a “amizade” ou apenas deixam de se incomodar com amigos, parentes ou vizinhos ao fazer vista grossa.
Fiscalizar é dever do Estado, fazer valer a Lei é obrigação das autoridades, buscar seus direitos para bem viver é direito de todos os cidadãos. Somos todos iguais perante a Constituição Federal e ninguém, o amigo do “rei” e nem mesmo o próprio “rei”, pode ser tratado de maneira diferente.
Muitas vezes as ações que levam à igualdade provocam reações negativas de alguns, notadamente a minoria. Mas que, muitas vezes, pela sua influência tomam grandes proporções em um primeiro momento.
Contudo, assim que a ordem e a justiça se instauram, é nítida a melhoria para a maioria e todos podem usufruir da ordem que passa a imperar.
Somos brasileiros, temos fama de dar um jeitinho. Somos alvoradenses, pertencemos à Capital da Solidariedade. Por isso é imperativo que coloquemos em prática a justiça, a lei, o que é certo, digno e moral.
Queremos ter ainda mais orgulho de nossa cidade, e para isso é necessário que cada um de nós cidadão, não só se indigne com as irregularidades como também não aceite para si e os seus, qualquer benefício exclusivo, que vá de encontro ao tão sonhado Bem Comum.

COMENTÁRIOS ()