Quarta-Feira, 22 de Novembro de 2017 |

Editorial

Os passos largos do presente

Por Redação em 27 de Outubro de 2017


A iniciativa privada continua dando belos exemplos na sociedade. Sem depender de espaços públicos ou de benesses de outros, com o sair da crise no qual o estado brasileiro está passando a passos avantes a retomada está sendo realizada. Em todos os recantos da cidade é visto a movimentação de investimentos do particular a adequação da nova fase que o brasileiro começa a viver, depois de anos de incertezas, desempregos e desalentos.
O investimento maciço em novas tecnologias, de qualificação profissional, da qualidade do material a ser fornecido são somente alguns exemplos. Espaços maiores e a concorrência sadia é fruto do investimento e a certeza de bons novos dias. E a economia nacional retornando, apesar de modo lento, retorna o compasso do desenvolvimento e comprometimento com a nação brasileira.
E a saúde da política continua dando os seus ares de graça. Passados quase dez meses, é fato relevante o caos instalado nas vias públicas, não somente nas vias principais como nas entradas da cidade e bairros à espera da chegada do poder público. Situações derradeiras tomadas no passado são uma constante nos dias atuais, não se vislumbrando situações efetivas para minorar a situação. E com uma simples chuva passageira, o desespero impera com os motoristas que necessitam fazer loucos malabarismos para tentar chegar ao destino. E frente a tudo isso, as lojas de autopeças, borracharias e oficinas estão com os seus balcões e pátios lotados para os reparos dos veículos. Movimentando desta maneira a economia em modo contrário aos bolsos dos motoristas.

E a saúde política continua a desprezar momentos históricos importantes para dar a efetiva presença de grandeza junto a comunidade. Na última sessão da Câmara de Vereadores, terça-feira, 24 de outubro, foi votado em segundo turno o projeto do nepotismo. No legislativo, a princípio, o grande fato é que não existe o nepotismo. Porém olhando-se de modo um pouco mais crítico, salta a olhos vistos o nepotismo cruzado. Certamente nenhum edil passa neste teste e bem que poderiam entrar para a história nacional sendo o primeiro município a evitar o emprego de parentes em outras esferas, como do executivo.

Se não bastasse isso, o legislativo entra na história recente rebaixando a qualificação profissional dos CCs do Executivo, projeto este oriundo do Executivo. Ressalta-se a isso, a grande desqualificação de profissionais ocupando o paço municipal, se refletindo diretamente nos serviços prestados à comunidade. Ressalvando-se abnegados funcionários que honram o comprometimento com a comunidade.

Ao contrário da iniciativa privada, os legisladores (executivo e legislativo), estão muito aquém do esperado pela comunidade. A iniciativa privada, um bom exemplo a ser seguido, espera também dos nossos legisladores atitudes que demonstram o porque ocupam os cargos, dando a seu povo o mínimo que ele pede: saúde, segurança, transparência e educação.

COMENTÁRIOS ()