Sexta-Feira, 21 de Julho de 2017 |

Editorial

Perigosa exposição

Por Redação em 19 de Setembro de 2014


Em épocas de uma maior exposição de pensamentos e até mesmo de valores, como se transforma o período eleitoral, é de se esperar que a civilidade e o bom senso estejam presentes em nosso dia a dia. Afinal de contas, muitos expõem não só a sua personalidade, como também o nome e muitas vezes a imagem de seus candidatos - pessoas em quem acreditam e possuem empatia - em suas casas, carros ou ainda colados no peito.
Frente a isso é interessante observar a reação das pessoas quando um desses “cabos eleitorais” comete um deslise, seja na vida pessoal ou publicamente. Porque quando um deles nos corta no trânsito, passa sem parar na faixa de segurança ou é mau vizinho, é para o candidato estampado na traseira do veículo ou no muro da casa que transferimos nossos sentimentos e, principalmente, a antipatia.
Essa é uma questão a ser discutida nas reuniões de partido, orientação que deveria seguir junto com a propaganda que é distribuída aos militantes, com certeza.
E também deve haver maior atenção com o horário de circulação e volume dos carros de som, assim como os comícios, para que levem em consideração o ambiente e atividades que se desenvolvem no entorno. Reuniões e aulas noturnas tem sofrido com a insensibilidade de muitos candidatos. Atos estes que não vem ao encontro daquilo prometem. O que dirá quando lá estiverem.
(...)
Da mesma forma, muitos de nós pode se sentir constrangido com as atitudes de seus candidatos. Hoje são muitas as coligações e acordos que levam os eleitores e duvidar se suas escolhas são legítimas e seguras.
Não há garantias de que a oposição ou situação de hoje (se é que ainda existe essa divisão) vão permanecer na mesma situação. O que nos preocupa muito... Pois está muito em jogo os interesses próprios do que daqueles que os lá o puseram.

COMENTÁRIOS ()