Segunda-Feira, 25 de Setembro de 2017 |

Editorial

Quebrando com a tradição

Por Redação em 13 de Setembro de 2013


Vivemos na região com maior tradição de todo o Brasil. Em solo gaúcho, muitas vezes, nos sentimos como que em outro país, outra nação. A República Rio-Grandense traz valores e lutas que nos diferem do conhecido Brasil tropical ... e nos remete, muitas vezes, a uma região de lutas e desafios e, ao mesmo tempo, de natureza bela e rica.
E no mês de setembro esse sentimento se intensifica e se alia ao amor à Pátria, comemorado em 7 de setembro. Os mais antigos viveram um sentimento patriota diferente, quando bandeiras eram hasteadas com austeridade e usadas apenas em eventos e locais oficiais. Hoje vemos as cores verde e amarelo e também a estampa da bandeira invadindo outros espaços como a moda, assessórios, no dia a dia... E isso, ao contrário do que parecia inicialmente, intensifica ainda mais o espírito e o orgulho de ser brasileiro e de ser gaúcho!
Pois bem, dentro dessa tradição regional, há também a tradição local. E Alvorada possui ainda mais um motivo para externar sua alegria, o 17 de setembro, data da emancipação política da cidade, antigo distrito de Viamão. Sendo assim, o mês se transforma em festa na cidade, que já conta com um grande e animado Acampamento Farroupilha. Ali passam alvoradenses de todos os bairros e visitantes de diversas idades e “tribos”, o que demonstra a ânsia que a cidade tem por grandes e bons eventos.
Contudo, esse ano, a alegria não está completa. O Desfile de 7 de setembro, conhecido anteriormente como da Comunidade, não vai acontecer, deixando crianças e adultos frustrados com a não realização daquela que, para muitos é a maior festa popular de Alvorada.
Os motivos nos parecem fortes, já que o município está em situação de emergência graças às chuvas e cheias de agosto. No passado também passamos por inúmeras dificuldades, talvez maiores, porém o tradicional desfile era honrado para o deleite de alunos, pais, professores, ... Também nos lembramos de outras cidades e países que também passaram por tal calamidade e, muitas vezes, em dimensão ainda maior, mas nas quais os administradores entenderam que a tradição e a alegria servem para amenizar a dor do povo.
Mas ainda temos festas na praça! Pois o Acampamento Farroupilha permanece até o domingo, 22 de setembro. Sem falar no Fandango Oficial e no Baile Municipal... mas isso já é outra história, outra festa...

COMENTÁRIOS ()