Quarta-Feira, 29 de Março de 2017 |

Editorial

Resgatando valores

Por Redação em 26 de Julho de 2013


Em uma semana gelada essa edição do Jornal A SEMANA está dando ênfase ao frio e às medidas para se proteger na estação mais impiedosa do ano, o Inverno.
Cuidados com a saúde, principalmente de crianças e idosos, e também com o bem estar dos nossos animais de estimação são temas das páginas centrais do jornal, como também as ações da Administração Municipal para amenizar os problemas que surgem com as chamadas doenças de inverno, ou ainda, para auxiliar os menos favorecidos.
Há ainda as ações promovidas por igrejas ou entidades no que se refere a campanhas realizadas constantemente em prol dos carentes. Mas este será um tema brevemente abordado por nossa reportagem.
Mas, em todos esses atos, seja em nossas casas ou nas ruas, vemos um sentimento em comum: a Solidariedade.
O dicionário nos diz que Solidariedade é o ato de bondade com as pessoas, principalmente com aqueles que possuem maior dificuldade alimentar, financeira e física. É o sentimento de compadecimento com as dificuldades e/ou sofrimentos de outras pessoas.
Já na Sociologia, existe o conceito de solidariedade social, que subentende a idéia de que os seus praticantes se sintam integrantes de uma mesma comunidade, portanto, sintam-se interdependentes.
Como sinônimos de Solidariedade temos ajuda, amparo, apoio, companheirismo...
Apesar de termos perdido a placa de entrada da cidade em um “temporal”, neste contexto é que lembramos que somos a Capital da Solidariedade, conquista de algum tempo e que deveria ser motivo de orgulho para todos os alvoradenses. E muitos ainda esperam que o pórtico volte a receber seus visitantes apresentando esse título.
E o tema foi citado e até enaltecido pelo Papa Francisco em seu discurso a uma comunidade pacificada do Rio de Janeiro. Lembrando do espírito de união do povo brasileiro, ele falou em “lição de solidariedade”, mas lamentou que a palavra seja “frequentemente esquecida ou silenciada, porque é incômoda. Queria lançar um apelo a todos os que possuem mais recursos, às autoridades públicas e a todas as pessoas de boa vontade comprometidas com a justiça social: Não se cansem de trabalhar por um mundo mais justo e mais solidário! (...) Não é a cultura do egoísmo, do individualismo, que frequentemente regula a nossa sociedade, aquela que constrói e conduz a um mundo mais habitável, mas sim a cultura da solidariedade. Ver no outro não um concorrente ou um número, mas um irmão. E todos nós somos irmãos!”, clamou Francisco.
E é assim, construindo uma Alvorada solidária, em que todos trabalhem em busca do bem comum é que vamos crescer como comunidade, como alvoradenses.
Ao invés de sermos conhecidos por nossa pobreza e criminalidade, esperamos ser reconhecidos por nossas ações solidárias, para que o título de Capital da Solidariedade, ao invés de incomodar alguns, se torne uma realidade para todos.

COMENTÁRIOS ()