Sbado, 24 de Outubro de 2020 |

Editorial

Resultado diferente das pesquisas

Por Redação em 11 de Outubro de 2018


Neste primeiro turno das eleições, a nova via da comunicação, as mídias sociais, foram muito utilizadas e de forma eficaz e pontual, auxiliaram na decisão do eleitorado seja no voto à presidente, governador, senadores e deputados federal e estadual.

Fortunas foram investidas em pesquisas eleitorais e nenhum instituto chegou perto do resultado final das urnas. De norte a sul deste imenso continente foram grandes as divulgações e por fim a realidade destoou da revelação dos votos depositados nas urnas.

Se não bastasse a dura lição dada nas urnas, os institutos de pesquisas continuam a tentar localizar os seus erros, mas os procuram onde sabem que não irão encontrar. Perdidos neste grande imbróglio que estão arraigados por décadas, acertando aqui e acolá, não conseguem entender e vir a público explicar de forma clara e objetivo o crasso erro que informaram à comunidade brasileira.

Estamos agora na reta final para a definição a nível estadual – Governador, e a federal – Presidente da República. A data dos eleitores de estar em frente a urna eletrônica está na contagem regressiva e todas as cartas dos candidatos já foram postas na mesa nas suas programações de governos. Resta melhor explicar e “ajustar” conforme as conveniências que as novas coligações exigem. Diversas mudanças estão ocorrendo e irão ocorrer até o limite final. Porém não podemos esquecer que as mídias sociais estão atentas a todos e qualquer movimentação anormal.

Isto tudo para o vencedor poder sentar por alguns anos numa das cadeiras mais cobiçadas pelos políticos, e que, para os últimos presidentes somente deu dor de cabeça. Estamos em um regime democrático de direito onde todos os poderes instituídos estão, ou deveriam, ser os olhos da nação.

Alguns dias a mais nos separam deste último encontro com as urnas eletrônicas. São as de maior importância para dar rumo ao nosso estado e nação. Que tenhamos neste período o discernimento de depositar o nosso voto, não nas nossas paixões, mas para o que de melhor almejamos a nossa querida nação.

COMENTÁRIOS ()