Sábado, 29 de Abril de 2017 |

Editorial

Sem recursos para eventos? E antes?

Por Redação em 16 de Setembro de 2016


O mês de setembro é tido como um mês que o amor à Pátria, ao Estado e ao Município são lembrados e evidenciados por meio dos Desfiles Cívico, Farroupilha e com a lembrança da Emancipação de Alvorada ocorrida em 17 de setembro de 1965.

Na edição do jornal A SEMANA que circulou semana passada noticiamos que o tradicional Desfile de 7 de Setembro não ocorrerá e nem está no calendário oficial. Desfile esse que leva milhares de alunos, pais, professores, autoridades e grande público as ruas, a fim de demonstrar seu amor ao Brasil. Além disso, com orgulho, desfilam na Avenida Getúlio Vargas Corpo de Bombeiros, Brigada Militar, Polícia Civil, funcionários públicos de diversos setores, máquinas, viaturas do Parque Rodoviário, entre tantos outros.

No passado, inúmeros eventos oficiais marcavam o mês de setembro. Atualmente, por falta de “recursos”, ou mais precisamente GESTÃO, estas datas máximas estão passando em brancas nuvens. Desfile, Baile Municipal, Feira do Livro, são marcas que ficarão para a posteridade como grandes avanços, porém neste ano, a administração municipal conseguiu não realizar o que as administrações anteriores o fizeram. E muito bem o fizeram. Os festejos da Emancipação pouco é lembrado.

Diferentemente dos eventos que deveriam ocorrer normalmente, o amor ao tradicionalismo e às questões gaúchas estão trazendo milhares de pessoas à Praça Central João Goulart. É verdade que alguns problemas ocorreram no ultimo final de semana no Acampamento Farroupilha e que após protestos dos tradicionalistas parece que tudo está resolvido. E isso a base de chicotes, relhos e que também adentraram o paço municipal exigindo o mínimo necessário dos poderes constituídos.
Mas temos que lembrar e frisar que tudo o que envolve o amor farroupilha como o Acampamento Farroupilha com os Piquetes, os shows no local, a busca da Chama Crioula e por fim a realização do Desfile Temático, estão ocorrendo graças ao empenho e dedicação dos abnegados tradicionalistas. Conscientes da negação de auxílio, foram a luta e mostraram com altivez que são grandes e fortes, longe da inoperância dos políticos.

Que continuem a demonstrar em seus piquetes, CTGs, a grandeza do trabalho realizado e que muito orgulha a nossa terra gaúcha, levando aos quatro cantos do mundo a mensagem da paz e amor à terra rio-grandense.

COMENTÁRIOS ()