Quinta-Feira, 23 de Março de 2017 |

Editorial

Sensação de abandono

Por Redação em 22 de Maio de 2013


E a população segue aguardando pela ação, principalmente de limpeza da cidade, após mais de 130 dias de governo. De início as críticas foram rebatidas com as desculpas da herança do governo anterior, da falta de recursos, do pouco tempo para que tudo possa se organizar.
Contudo, é bom lembrar, logo após as eleições já iniciaram os trabalhos da Equipe de Transição, que possibilitaram que um grupo de membros da nova gestão tivesse acesso a diversos documentos e ambientes da Prefeitura, para poderem ir se familiarizando com a realidade da Administração Municipal em todas as Secretarias.
Ainda no final do governo anterior uma interferência judicial suspendeu o contrato com a empresa de limpeza urbana, permanecendo apenas os serviços de coleta de lixo. E tudo isso foi se acumulando.
O resultado é que hoje temos bairros tomados por buracos em suas ruas; calçadas, canteiros e praças intransitáveis devido ao mato que toma conta de tudo e um sentimento crescente de abandono.
A cidade está suja, literalmente. E a população está triste e envergonhada, principalmente quando acessa os bairros onde mora, que são as veias pulsantes dessa cidade.
Em alguns lugares a iniciativa dos moradores está dando uma amenizada no problema, seja cortando o mato do canteiro central – como anteriormente noticiado nas páginas do Jornal A SEMANA – seja limpando e arborizando praças, como a capa dessa edição nos mostra. São pessoas arregaçando as mangas, tomando a frente o bem estar e a segurança do lugar onde vivem, enquanto seguem aguardando a ação das autoridades locais.
Por outro lado, felizmente a avenida principal e algumas vias mais importantes receberam cuidado no que se refere ao asfalto, com um trabalho efetivo de fechamento dos buracos que eram muitos, e em alguns pontos perigosos. Também a limpeza parcial do canteiro central foi promovida nas últimas semanas, o que diminui a sensação de abandono e desleixo.
Somos um povo que é reconhecido pela baixa auto-estima, uma cidade que por muitos anos esteve à margem da Região Metropolitana e que demorou muito para conquistar um pouco de orgulho de ser quem é. Hoje temos muito do que nos orgulhar, são muitos os alvoradenses que tem seu trabalho desenvolvido na cidade reconhecido não só no Estado como também no Brasil. Muitas ações aqui desenvolvidas servem de exemplo a outras comunidades. Urge a necessidade dos poderes constituídos fazerem a sua parte.
Contudo, no momento, temos vergonha de convidar alguém a vir na “nossa casa”. Estamos trabalhando bem, mas esquecemos do principal, que é a aparência e a limpeza do lugar em que vivemos.
Chegando perto do final do primeiro semestre de governo, esperamos que isso encontre uma solução, e torcemos para que as intempéries do inverno não sirvam para agravar o problema.

COMENTÁRIOS ()