Sábado, 25 de Março de 2017 |

Editorial

Trabalho é vida

Por Redação em 29 de Abril de 2015


Acordar todos os dias para trabalhar não é uma tarefa fácil. O ato de trabalhar, seja na rua ou no escritório, não é difícil e se torna prazeroso. Porém, o que atrapalha a vida do trabalhador nos dias de hoje, é o deslocamento.
Partindo do princípio de que um morador de Alvorada trabalhe aqui, ele que precisa pegar um ônibus para chegar ao seu local de trabalho, dificilmente vai conseguir realizar a viagem sentado ou bem acomodado. Sem contar na demora dos coletivos.
Os trabalhadores que necessitam ir à capital enfrentam um problema ainda maior, pois o transito se torna caótico no horário de pico. Já se o trajeto é feito de carro, as dificuldades são outras, mas também são inúmeras. Ruas com buracos, sinaleiras estragadas e muito transito. Segundo dados de 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística/IBGE, 64.147 pessoas deixam Alvorada para trabalhar ou estudar em outros municípios da Região Metropolitana, isso equivale a 62% da população alvoradense. Um dos maiores índices da região.
A viagem de casa para o trabalho e do trabalho para casa também deveria se tornar uma parte boa, afinal, o trabalho preenche a maior parte do dia dos cidadãos brasileiros. Muitas pessoas costumam passar mais tempo no trabalho do que em casa.
Apesar de todas as adversidades, trabalhar faz parte de todos nós. É de onde tiramos nosso sustento e é a partir disso que realizamos nossos sonhos. Por mais difícil que seja o trajeto, continuamos acordando, enfrentando o transito, os perigos da cidade.
E no final do mês, o tão suado trabalho transformado em salário não suprime as necessidades básicas do trabalhador, isso sem contar com os seus familiares, descanso, férias dignas, e outros mais.
Os tempos mudaram, mas a saga do trabalhador continua, firme, avante, sonhando e trabalhando para construir uma pátria que um dia voltará a ser pujante, rica e que honra os dizeres da Bandeira Nacional: Ordem e Progresso.

COMENTÁRIOS ()