Segunda-Feira, 25 de Setembro de 2017 |

Fique Sabendo

Saúde do mel

Por Redação em 14 de Março de 2014


Produzido pelas abelhas, o mel é criado a partir do néctar que elas recolhem das flores e processam pelas enzimas digestivas, que são em seguida armazenado em favos nas colmeias.
Antigamente, o homem consumia o mel de forma extrativa, geralmente causando danos para as colmeias. Porém, com o passar do tempo, ele aprimorou as suas técnicas, e hoje em dia é possível abrigar abelhas "domesticadas" em colmeias artificiais, podendo assim aumentar a produção do alimento.
Ele é considerado o único alimento doce que possui sais minerais e vitaminas que são essenciais para a saúde do ser humano. Suas propriedades medicinais podem também oferecer uma ação antibacteriana.
O Dia Nacional do Mel é celebrado em 17 de março, em todo o Brasil.
O mel de abelha é uma substância viscosa que é composta por cerca de 80 a 90% de carboidratos, pequenas quantidades de enzimas, aminoácidos, minerais, oligoelementos, vitaminas e polifenóis. O aroma, paladar, coloração, viscosidade e propriedades funcionais do mel estão diretamente relacionados com a fonte de néctar que o originou e também com a espécie de abelha que o produziu. De maneira geral, alguns estudos demonstram que o mel possui propriedades antimicrobianas, antivirais, antiparasitária, anti-inflamatória, antioxidante e anticarcinogênica.
A mistura de açúcares do mel é composta principalmente por frutose e glicose. A frutose apresenta-se normalmente em maior quantidade que a glicose e 5 a 10% dos carboidratos totais são oligossacarídeos. O índice glicêmico (IG) do mel varia entre 32 a 85, dependendo da fonte botânica e quanto maior o teor de frutose menor será o IG.
A quantidade de vitaminas e minerais é pequena, mas pode conter quantidades variáveis e significantes de sais minerais e oligoelementos, como crômio, manganês, selênio, enxofre, boro, cobalto, flúor, iodeto de molibdênio e de silício.
Além disso, o mel pode conter boas quantidades de colina, que é essencial para a função cerebral e cardiovascular, bem como para a composição da membrana celular.
Os polifenóis são outro grupo de substâncias importantes responsáveis pela aparência e propriedades funcionais do mel. Em geral, quanto mais escuro o mel, maior a quantidade de polifenóis e melhor sua propriedade antibacteriana e antioxidante. Podem ser encontradas cerca de 56 a 500 mg/kg de mel de polifenóis totais em tipos diferentes de mel. Os polifenóis presentes no mel são principalmente os flavonóides (como a quercetina, luteolina, kaempferol, apigenina, crisina e galangina) e ácidos fenólicos. Estes são compostos conhecidos por suas propriedades antioxidantes.
A tributirina é um composto bioativo presente também no mel. Essa substância tem sido relacionada, por meio de estudos in vitro e in vivo, com diversos mecanismos anticarcinogênicos, como indução de apoptose e diferenciação celular, possuindo um papel quimiopreventivo principalmente na hepatocarcinogênese.

COMENTÁRIOS ()