Segunda-Feira, 05 de Dezembro de 2022 |

SIMA

Governo Appolo deixa Alvorada às traças. Até diesel está faltando!

Por Redação em 30 de Setembro de 2022


O descaso do Governo Appolo com a cidade chegou ao extremo: está faltando combustível para mover as patrolas e veículos da prefeitura, que estão estacionados no pátio da Secretaria de Obras (SMOV), no 11 de Abril. O absurdo é o resultado desastroso de um governo marcado pelo descumprimento das leis, por maltratar os Servidores e deixar a população em segundo plano. Como um retrato do Governo Appolo, o pátio da SMOV tem servido de depósito para o maquinário do serviço público em Alvorada, que alí é descartado.

Caminhões, ambulâncias, automóveis, patrolas e escavadeiras são descartadas no pátio da SMOV, como um amontoado de sucata. Será que a prefeitura deu baixa nesses veículos? E porque acumula tanto ferro velho?

Mas na semana da eleição, faltou combustível para abastecer os caminhões, pois essa é a cara de um governo que suspende o concurso público e descumpre a Lei do Piso do Magistério (Lei 11.738/2008), criada para reconhecer o valor dos educadores.

CUSCO NO TIROTEIO

A falta de diesel para mover os caminhões mostra o quanto Governo Appolo está perdido, como "cusco no tiroteio", sem saber se cumpre o dever de cuidar da cidade ou atende aos interesses político-eleitorais. Por isso faltam Equipamento de Proteção Individual (EPI) para os trabalhadores dessa secretaria e as condições de trabalho não podem ser piores.

O mau estado estado de conservação das instalações é visto inclusive no prédio da prefeitura e na Praça Central, local em que os banheiros públicos estão em péssimo estado de conservação. O ambiente é escuro e cheira mal.

Sem conservação, os prédios da municipalidade são deteriorados por goteiras e instalações elétricas precárias, que põem em risco a integridade física dos Servidores e também da população.

SIMA ATIVO E VIGILANTE

A decisão do SIMA de ir na Justiça para pagar o piso do Magistério é porque o Governo Appolo não respeita a lei e ainda persegue pratica assédio moral sobre os servidores públicos.

Recentemente, o departamento Jurídico do SIMA garantiu o direito de Agentes Comunitárias de Saúde de trabalhar, pois a prefeitura teima em ignorar o concurso público e não chama as concursadas.

Para Rodinei Rosseto, presidente do SIMA, o sindicato cumpre o dever de fazer a defesa dos Servidores e também do interesse imediato da população, de quem a prefeitura recolhe impostos e deveria prestar serviços públicos de qualidade.

COMENTÁRIOS ()