Sexta-Feira, 24 de Novembro de 2017 |

Você Lembra?

Por César Freitas

Por Redação em 08 de Março de 2013


No último domingo, dia três, Zico, um dos maiores craques do futebol brasileiro em todos os tempos, completou sessenta anos de idade. E a imprensa brasileira, com muita justiça, deu um merecido destaque. Vamos então também lhe prestar esta homenagem. Zico, ou melhor, Arthur Antunes Coimbra, foi um ótimo jogador de bola. Muito habilidoso no trato da bola, veloz, oportunista, com boa impulsão apesar de sua baixa estatura. Enfim possuía todas as qualidades que se deseja num atacante completo. Zico só defendeu dois clubes, o Flamengo e a Udinese, da Itália. Iniciou no “Mengo em 1971. Nesse ano o Flamengo ia a campo com Ubirajara Alcântara; Aloisio, Fred, Reyes e Paulo Henrique; Liminha, Renato, Rogério e Zico; Samarone e Fio. Zico permaneceu na Gávea até 1983. Nesse período conquistou quatro títulos brasileiros , uma Libertadores e um Mundial Inter clubes.No Mundial o Flamengo derrotou o Liverpool por três a zero em Tóquio. O rubro negro conquistou o mundo com Raul Plassmann; Leandro, Marinho, Mozer e Junior; Andade, Adilio, Tita e Zico; Nunes e Lico. No final de 1983 Zico foi contratado pela Udinese. Teve uma curta passagem pela Itália, pois retornou em 1985 para o Mengo, permanecendo no clube da Gávea até 1989. No seu jogo de despedida, Fla X Flu disputado no dia dois de dezembro daquele ano no estádio municipal de Juiz de Fora - MG. O Flamengo venceu por cinco a zero. Zico marcou um gol. O Flamengo jogou com Zé Carlos, Josimar, Rogério e Leonardo (Marcelinho); Ailton, Luiz Carlos e Zico (Uildemar); Renato, Laércio, Bujica e Zinho. Ao longo de sua carreira Zico disputou setecentos e trinta e um jogos e marcou quinhentos e oito gols. Pela Seleção Brasileira atuou em noventa e quatro partidas e consignou sessenta e oito gols. Zico integrou a nossa seleção de 1982, a chamada “seleção dos sonhos” que jogava com Valdir Peres; Leandro, Oscar, Luizinho e Junior; Toninho Cerezo, Falcão, Sócrates e Zico; Sérginho e Eder. Eu tive a satisfação de entrevistar o Zico em dezembro último, quando ele veio a Porto Alegre para participar do jogo da Pobreza. Nessa oportunidade ele me informou que os melhores técnicos que teve foram Cláudio Coutinho, Fleitas Solich, Osvaldo Brandão e Joubert. Os melhores marcadores que enfrentou foram Carlos Alberto Pintinho e Zé Mário. O melhor atacante que viu em ação foi Édson Arantes do Nascimento, o rei Pelé. Considera que o seu gol inesquecível foi marcado na vitória do Flamengo ante o Cobreloa na final da Libertadores de 1981. Os seus ídolos nos gramados foram Edvaldo Alves de Santa Rosa, o Dida uma atacante do Flamengo nos anos cincoenta e os seus irmãos Antunes e Edu. Após deixar os gramados Zico tornou-se técnico dirigindo vários clubes de diversos países. Dirigiu a seleção japonesa numa Copa do Mundo. O Zico está sendo o meu “Você Lembra?” número 1082. Nos 1081 anteriores foi o ídolo mais votado. Recebeu cento e quarenta e nove votos contra cento e quarenta e três de Pelé. Zico até hoje é um modelo para os atletas de nosso futebol. Apesar de todo esse prestígio, Zico continua muito humilde e cavalheiresco. Pelo menos foi dessa maneira que ele me tratou nessa entrevista realizada no saguão do Aeroporto Salgado Filho. Nessa oportunidade quando se preparava para viajar de retorno ao Rio de Janeiro, foi assediado por vários populares que lhe solicitavam autógrafos e para posar para fotos e foram prontamente atendidos. Assim, resgatamos a história futebolística de Arthur Antunes Coimbra, o Zico, o “Galinho de Quintino”, que inegavelmente foi um dos melhores jogadores do futebol brasileiro em todos os tempos.

COMENTÁRIOS ()