Sábado, 16 de Dezembro de 2017 |

Você Lembra?

Por César Freitas

1075- CAÍCO

Por Redação em 11 de Janeiro de 2013


Ao longo dos anos as divisões inferiores do Inter formaram em suas bases vários atletas que foram muito úteis ao clube. Caíco, o nosso focalizado nesta edição foi mais um bom atleta formado no Beira Rio. Meia cancha muito habilidoso no trato da bola e driblador sabia cadenciar o jogo como poucos. O seu nome completo é Airton Graciliano Silva dos Santos sendo natural de Porto Alegre, onde nasceu no dia quinze de maio de 1974. Foi para o Inter em 1985. Em 1992 quando se profissionalizou e assumiu a titularidade na equipe principal, o Inter jogava com Fernandez; Célio Lino, Célio Silva, Pinga e Daniel; Élson, Caíco e Marquinhos; Mauricio, Gerson e Zinho. Caíco permaneceu no Inter até 1995 integrando uma equipe que atuava com Goicochea; Cesar Prates, Argel, Jonilson e Vinicius; Élson, Caíco e Marcelo; Mazinho Loyola, Leandro e Zé Alcino. A seguir Caíco foi para o futebol japonês contratado pelo Verdy Kawasaki. Retornou o futebol brasileiro contratado pelo Flamengo em 1996, que ia a campo com Zé Carlos; Rivera, Fabiano, Ronaldão e Gilberto; Fábio Baiano, Caíco e Athirson; Bebeto, Nélio e Iranildo. No ano seguinte foi para o Santos que formava com Marcelo; Baiano, Cássio, Ronaldão e Narciso; Elder, Caíco e Arinelson; Macedo, Muller e Alessandro. Em 1998 veio para o Atlético PR que atuava com Flávio; Alberto, Reginaldo, Gustavo e Dedé; Gerson Caçapa, Caíco e Paulo Miranda; Adriano, Tuta e Warley Brasília. A seguir retornou para o Santos interando uma equipe que ia a campo com Zetti; Michel, Jean, Claudiomiro e Gustavo; Élson, Caíco e Ailton; Ariztizabal, Dodô e Rodrigão. No ano de 2000 Caíco estava no futebol mineiro defendendo o Atlético que jogava com Veloso; Mancini, Cláudio Caçapa, Gilberto Silva e Ronildo; Valdir, Caíco e Gallo; Marques, André e Ramon. Posteriormente Caíco retornou ao futebol europeu atuando no futebol suíço. Em 2002 estava de volta ao nosso país contratado pela Ponte Preta que jogava com Alexandre Negri; Daniel, Rodrigo, Marinho e Elivelton; Mineiro e Dionísio, Caíco e Piá, Basílio e Hernani. No ano seguinte estava no Goiás que jogava com Harley; Gustavo, Fabão, João Paulo e Rondinelli; Marabá, Josué, Danilo e Caíco; Dimba e Araujo. Depois de uma passagem pelo futebol português defendendo Leiria, Caíco retornou ao futebol gaúcho contratado pelo Juventude que formava com Doni; Chicão, Antonio Carlos e Daniel; Juliano, Caíco, Jardel, Lauro e Roger; Zé Carlos e Enilton. Após um rápido retorno ao futebol português atuando pelo Marítimo, Caíco retornou ao futebol brasileiro contratado pelo Coritiba, que atuava com Arthur; Anderson Lima, Douglão, Henrique e Douglas Silva; Rodrigo Mancha, Juninho, Caíco e Pedro Ken; Keirison e Muñoz. Finalmente defendeu o Vila Nova e o Itumbiara, ambos de Goiás, tendo encerrado sua movimentada carreira como atleta de futebol neste último em 2010. Caíco foi orientado por muitos técnicos e destaca o trabalho de Antônio Lopes, Edson Porto e Vanderlei Luxemburgo. O melhor meia cancha que viu em ação foi Marquinhos que era do Atlético MG e atuou no Inter. O marcador que lhe marcou melhor foi Dinho. O seu gol inesquecível foi consignado no jogo Fluminense X Inter, que marcou a sua estréia na equipe titular do Inter. O jogo foi disputado n o estádio das Laranjeiras, no Rio de Janeiro e foi válido pela Copa do Brasil de 1992, vencida pelo Inter. O seu ídolo nos gramados é Romário. Atualmente Caíco exerce as atividades de Gerente de Futebol do Santa Cruz, da cidade capital do fumo. Assim resgatamos a história futebolística de Airton Graciliano Silva dos Santos, o Caíco, que inegavelmente teve presença marcante no futebol gaúcho e brasileiro.

COMENTÁRIOS ()