Sexta-Feira, 15 de Dezembro de 2017 |

Você Lembra?

Por César Freitas

1076- EDSON SCOTT

Por Redação em 18 de Janeiro de 2013


Na década de setenta as divisões inferiores do Inter revelaram excelentes valores em praticamente todas as posições. É bem verdade que a maior fartura ocorreu na meia cancha. Na lateral esquerda ativemos o lançamento de Edson Scott, o nosso focalizado nesta edição. Muito jovem vestiu a jaqueta número seis colorada evidenciando muita eficiência, tanto na defensiva quanto no apoio. Como o técnico Rubens Minely optou por laterais mais experientes como Vacaria e Édson Madureira, Édson Scott não teve muitas chances. Assim foi emprestado a outros clubes, não tendo chances de retornar ao Beira Rio, como certamente era o seu desejo. O seu nome completo é Edson Bastos Scott, sendo natural de Caxias do Sul, onde nasceu no dia quatro de junho de 1950. Em 1967 foi para os juvenis de Abílio dos Reis, no estádio colorado. Em 1969 se profissionalizou passando a integrar um time que jogava com Rafael; Jorge Andrade, Pontes, Flávio e Edson Scott; Carbone e Garcia; Valdomiro, Sérgio, Escurinho e Volmir. Permaneceu no Inter até 1975 quando foi para o futebol catarinense onde jogou no Avaí, que ia a campo com Zé Carlos; Lico, Marco, Orivaldo e Edson Scott; Rosa Lopes, Valdeci e Jadir; Bira Lopes, Zé Paulo e Dirceu. Também defendeu o Criciuma e o Ferroviário, de Curitiba, o Rio Verde de Goiás e São Carlos e Sergipe. Edson Scott considera que Abílio dos Reis, Daltro Menezes e Dino Sani foram os melhores técnicos que teve. O melhor lateral esquerda que viu em ação foi Marco Antônio. O ponteiro direito mais difícil de ser marcado foi Flecha. O seu gol inesquecível foi consignado no jogo Ferroviário X Blumenau. O seu ídolo nos gramados foi o “Garoto de Ouro” Bráulio Barbosa Lima. Assim, resgatamos a história futebolística de Édson Bastos Scott, o Édson Scott, que inegavelmente foi um excelente lateral esquerdo.

COMENTÁRIOS ()