Domingo, 26 de Março de 2017 |

Você Lembra?

Por César Freitas

1098- LUIZ FERNANDO

Por Redação em 28 de Junho de 2013


Na década de oitenta as divisões inferiores do Grêmio revelaram vários excelentes zagueiros, como Baidek, Scheid, Luiz Eduardo, Luciano, Rogério, Ion e Luiz Fernando, o nosso focalizado nesta edição, entre inumeros outros. Devido essa abundância muitos não tiveram o aproveitamento que desejavam no elenco gremista. Luiz Fernando, apesar de suas boas qualidades técnicas está incluído entre estes. Luiz Fernando é natural de Porto Alegre, onde nasceu no dia vinte e cinco de abril de 1969. Depois de atuar por uma década nas divisões inferiores foi profissionalizado em 1989. Nesse ano a equipe gremista jogava com Gomes; Jorge Antônio; Luiz Fernando, Luiz Eduardo e Fábio; André, Cuca , Darci e Assis; Nando e Paulo Egidio. Em 1991 foi para o São Bento de Sorocaba. Em 1992 estava de volta ao nosso estado contratado pelo Santa Cruz. O alvi negro da “Capital do Fumo” ia a campo com Reni; Fábio, Luiz Fernando, Chicão e Eliseu; Jair Neves, Edinho e Zé Roberto; Marabá, Silvio e Betinho. A seguir Luiz Fernando atuou no Fluminense carioca, Ituano, XV de Piracicaba, San Lorenzo, da Argentina, Futebol espanhol, Cordoba, da Argentina, Jorge Winstermann da Bolivia, Pelotas, Guarani de Venâncio Aires, Botafogo de Ribeirão Preto, Ulbra para encerrar no 15 de Novembro de Campo Bom em 2005. Os melhores técnicos que o orientaram foram Vadão, Cláudio Duarte e Edinho. Os melhores zagueiros que viu em ação foram Mauro Galvão e Aldair. Os atacantes que lhe deram mais trabalho para serem marcados foram Mário Tilico, Jardel e Paulo Nunes. O seu gol inesquecível foi marcado na vitória do San Lorenzo por um a zero ante o Rosário Central, em 1997.O seu ídolo nos gramados foi Paulo César Caju. Formado em Educação Física, Luiz Fernando exerce a sua profissão. Assim, resgatamos a história futebolística de Luiz Fernando, que mais um bom zagueiro formado nas divisões inferiores do Grêmio que lamentavelmente não teve muitas chances no Olímpico.

COMENTÁRIOS ()