Domingo, 23 de Julho de 2017 |

Você Lembra?

Por César Freitas

1152- LICO

Por César Freitas em 25 de Julho de 2014


Ao longo dos temos as divisões inferiores do Inter se notabilizaram por formar excelentes meia canchas, principalmente sob o comando do saudoso Abílio dos Reis. Lico o nosso focalizado nesta edição foi formado na década de noventa, mais precisamente em 1997 quando foi profissionalizado. Bastante habilidoso no trato da bola, Lico logo se destacou no seu grupo. Em 1997 o Inter jogava com André; Jairo, Zózimo, Alex e Cesar Prates; Luiz Fernando Souza, Everton Luiz e Lico; Leto, Leandro e Ruben Dario. A seguir foi para o futebol paulista defender o Mogi Mirim. Posteriormente veio para o futebol catarinense contratado pelo Joinville. O clube jogava com Marcão; Téio, Bandock, Alencar e Heverton; Lico, Paulinho e Perdigão; Marcel, Luiz Carlos e Hermê. Em 2002 foi para o futebol paranaense defender o Coritiba. No ano seguinte retornou ao nosso futebol contratado pelo Caxias. A equipe grená jogava com Sadi; Ibarra, Jairo Santos, Paulo César e Emanoel; Claudio, Janilson, Lico e Richard; Lê e Reinaldo. Depois de uma passagem pela Chapecoense, Lico foi para o exterior. Jogou no Azerbaijão e na China. Em 2008 retornou ao nosso país contratado pelo Cerâmica, que ia a campo com Donizetti; Fernando, Leandro e Sidnei; Airton, Lico, Robson, Davis Tiago e Pedro; Marinho e Fernando Genro. Ao final desse ano encerrou as suas atividades como atleta profissional, passando a ser o técnico da equipe do Cerâmica. Posteriormente dirigiu o Guarani de Camaquã. Lico considera que Antônio Lopes foi o melhor técnico que teve a orientá-lo. O melhor meia cancha que viu em ação foi o argentino Veron. O volante que melhor lhe marcou foi Dunga, que também foi o seu ídolo nos gramados. O seu gol inesquecível foi marcado no jogo Joinville X Atlético de Ibirama, no jogo que deu o título catarinense para a sua equipe. Assim, resgatamos a história futebolística de Vladimir da Cruz Freitas, o Lico que foi um bom meia cancha que marcou presença no futebol gaúcho, catarinense, paranaense e paulista.

COMENTÁRIOS ()